Liga Portuguesa

Benfica quebra jejum e vence na Luz

Benfica quebra jejum e vence na Luz

 

LUSA/AO   Futebol   27 de Set de 2008, 22:29

O Benfica pôs termo ao início perfeito que o Sporting estava a ter na Liga portuguesa de futebol, ao vencer o rival por 2-0 no Estádio da Luz, reduzindo para um ponto o atraso para os “leões”

No jogo grande da quarta jornada da prova e perante mais de 60.000 espectadores, o Benfica adiantou-se no marcador aos 67 minutos, num belo remate de Reyes, e fechou a contagem cinco minutos depois, aos 72, por Sidnei, dois jogadores que se estrearam a marcar pelas “águias”.
No encontro que marcou o regresso de Liedson à competição, cinco meses depois da lesão no joelho esquerdo, o Sporting sofreu a primeira derrota no Estádio da Luz nas últimas quatro épocas e a primeira nesta edição da Liga.
Os jogadores do Sporting, que já não perdiam para o campeonato desde 20 de Abril, quando foram goleados pela União de Leiria, voltam a ter novo teste de fogo no próximo domingo, quando receberem o FC Porto, que sexta-feira também reduziu para um ponto a diferença para os “leões”.
Com este triunfo, o Benfica igualou o tricampeão FC Porto no terceiro posto da Liga, atrás do Sporting e do Nacional da Madeira, que se pode isolar no comando da prova, quando receber o Estrela da Amadora.
Para o “derby”, o treinador do Benfica, Quique Flores, manteve o mesmo “onze” que bateu o Paços de Ferreira (4-3), na última ronda, com especial destaque para o facto de Jorge Ribeiro, que ainda não tinha jogado, continuar na equipa em detrimento do habitual lateral esquerdo Léo.
Maxi Pereira, Sidnei, Miguel Vítor, que teve alguns problemas físicos durante a semana, e Jorge Ribeiro compunham o quarteto defensivo à frente de Quim, enquanto no meio-campo, Yebda, Carlos Martins, Ruben Amorim e Reyes davam apoio à dupla de avançados, formada por Nuno Gomes e Cardozo.
No Sporting, o treinador Paulo Bento promoveu duas alterações forçadas na equipa inicial que derrotou o Belenenses (2-0), com Grimi e Miguel Veloso a entrarem para o lugar dos lesionados Caneira e Izmailov, respectivamente.
Rui Patrício continua a ser o indiscutível na baliza “leonina”, atrás de Abel, Tonel, Polga e Grimi, enquanto no meio-campo Miguel Veloso era o elemento mais atrasado do losango, composto também por João Moutinho, Rochemback e Romagnoli, ficando o ataque entregue a Hélder Postiga e Yannick, melhores marcadores da equipa.
Motivado pela liderança da Liga portuguesa, o Sporting podia ter inaugurado o marcador logo aos 50 segundos, mas Yannick Djaló, isolado por Miguel Veloso, colocou a bola por cima de Quim, mas esta saiu ao lado da baliza.
Na resposta, o paraguaio Óscar Cardozo viu Rui Patrício adiantado e tentou um "chapéu" a cerca de 35 metros da baliza, mas a bola acabou por sair por cima da baliza “leonina”.
O início prometia muito, mas o jogo, apesar de intenso, foi perdendo qualidade e só aos 19 minutos se voltou a assistir a uma boa oportunidade de golo, numa excelente jogada de Ruben Amorim e Maxi Pereira, que colocou na pequena área, onde Nuno Gomes, em esforço, atirou por cima.
Dois minutos depois foi a vez de o Sporting ficar perto do golo, após uma boa jogada individual de Leandro Grimi, que colocou a bola à entrada da área para um remate Hélder Postiga, que obrigou Quim a uma boa defesa.
Até ao intervalo, destaque apenas para um remate de longe de Reyes, que parecia levar a direcção da baliza, mas acabou por encontrar a cabeça de Abel.
A segunda parte iniciou-se tal como a primeira, com duas boas oportunidades de perigo, mas os remates da “águia” Jorge Ribeiro e do “leão” João Moutinho, foram bem parados pelos guarda-redes das duas equipas.
Com os dois conjuntos bem fechadas defensivamente, o remate de longe parecia ser mesmo a única solução para criar perigo, mas o Benfica acabou por chegar ao golo através de um bom lance de bola corrida.
Aos 67 minutos, Reyes combinou bem com o recém-entrado Aimar e rematou em arco, rasteiro e sem hipótese para Rui Patrício, estreando-se a marcar com a camisola do Benfica.
Depois de terem sofrido três golos de bola parada em Paços de Ferreira, os “encarnados” acabaram por marcar na sequência de um canto de Carlos Martins, com Sidnei a subir mais alto que os centrais do Sporting, que, até ao fim, foi incapaz de evitar a primeira derrota no campeonato.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.