Taça de Portugal

Benfica em serviços mínimos vence Cinfães com golo de Ola John (vídeo)

Benfica em serviços mínimos vence Cinfães com golo de Ola John (vídeo)

 

Lusa/AO online   Futebol   19 de Out de 2013, 16:12

Um golo solitário de Ola John permitiu hoje ao Benfica vencer o Cinfães, equipa que milita no Campeonato Nacional de Seniores (CNS), e apurar-se para a quarta eliminatória da Taça de Portugal de futebol

A formação lisboeta, que se apresentou neste jogo com um misto de jogadores menos utilizados e da equipa B, não conseguiu tornar evidente a diferença de escalões entre as duas formações, acabando por assinar uma exibição de serviços mínimos, também por culpa da excelente entrega do Cinfães.

A formação local entrou de forma desinibida no encontro, conseguindo, logo nos primeiros minutos, superar algumas debilidades técnicas com garra e atrevimento, surpreendendo, em algumas ocasiões, o Benfica.

Os “encarnados” demoraram um pouco a impor o seu futebol, mas logo que começaram a incutir velocidade, chegaram com facilidade à área do Cinfães.

Mas aí, a equipa anfitriã montava uma verdadeira parede de jogadores, que os benfiquistas não conseguiam romper, isto apesar de um par de tentativas de Ivan Cavaleiro e Funes Mori, a que o guarda-redes Pedro Miguel se impôs.

Do outro lado, o Cinfães apresentava-se mexido, mas sem verdadeiramente criar situações de golo junto à baliza de Oblak. O veterano Gomes ainda conseguiu fugir, por duas vezes, à marcação, mas nos momentos decisivos claudicou.

Com alguma capacidade de superação, a formação do CNS foi mantendo o empate, vendo o árbitro Rui Costa anular um golo do Benfica, por alegada falta de Steven Vitória, e aguentou o 0-0 até ao intervalo.

Mas, a resistência do Cinfães terminaria sete minutos após o reatamento, quando Ola John surgiu, sem oposição, na área adversária para rematar após assistência de Ivan Cavaleiro.

O tento acabou por tranquilizar o futebol benfiquista, mas não tolheu o inconformismo do Cinfães, que continuou a dar uma boa réplica, apesar das evidentes dificuldades físicas com o avançar do cronómetro.

A verdade é que o Benfica também não acelerou muito mais e, apesar de criar mais algumas situações de golo, foi mantendo os serviços mínimos, gerindo, até ao final, a magra vantagem.

 

Veja aqui o resumo do jogo


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.