Açoriano Oriental
BE nos Açores quer saber resultados do Centro de Tratamento para diabéticos

O Bloco de Esquerda (BE) solicitou esta quinta-feira dados ao Governo açoriano sobre a abrangência da diabetes na região e questionou que impacto teve a abertura do Centro de Tratamento para Perfusão Subcutânea Contínua de Insulina, anunciado em 2015.

article.title

Foto: BE/A
Autor: Lusa/AO Online

Num requerimento enviado ao executivo regional do PS, os deputados do BE no parlamento dos Açores solicitam os dados sobre o número de pessoas diagnosticadas com diabetes nos Açores, por idades, por ilha e tipo de diabetes.

O requerimento, enviado às redações, lembra que, “em 2015, o então secretário regional da Saúde, anunciou a criação do Centro de Tratamento para Perfusão Subcutânea Contínua de Insulina, no Hospital do Divino Espírito Santo, em Ponta Delgada”, sublinhando tratar-se de “mais uma valência para os utentes do Serviço Regional de Saúde que possibilita uma melhor prevenção de doenças derivadas da diabetes”.

"Quatro anos após o anúncio" os parlamentares do BE, António Lima e Paulo Mendes, defendem que “é tempo de avaliar a sua implementação, a abrangência e os seus impactos na vida das pessoas diagnosticadas com diabetes”.

No requerimento, o BE questiona também o Governo açoriano sobre "qual o número de pessoas e idades abrangidas com o tratamento por dispositivo de Perfusão Subcutânea contínua de insulina?".

"A diabetes é uma doença crónica em larga expansão em todo o mundo. Segundo os números da International Diabetes Federation (IDF) prevê-se que em 2030 cerca de 438 milhões de pessoas sofram de diabetes, o que corresponde a um aumento de cerca de 54%. Aproximadamente 3,8 milhões de pessoas morrem todos os anos por diabetes ou por causas com ela relacionadas", lê-se no mesmo requerimento do BE.


Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.