BCP volta a puxar a Bolsa para terreno positivo


 

Lusa/AO online   Economia   3 de Out de 2007, 17:04

A Euronext Lisboa voltou a fechar em terreno positivo , a ganhar 1,92 por cento, e já soma seis dias de ganhos consecutivos

  Apenas 4 dos 20 títulos que compõem o índice de referência da bolsa portuguesa desceram; 15 subiram  e 1 ficou inalterado, numa sessão de elevada liquidez.

    Lisboa acompanhou a tendência dos mercados europeus, registando a maior subida entre as congéneres do ‘velho continente’, impulsionados pelo sector bancário.

    O sector financeiro animou os mercados, depois do Deutsche Bank ter reportado um crescimento do lucro no terceiro trimestre do ano, para 1,4 mil milhões de euros.

    Os títulos do Deutsche Bank subiram pelo quinto dia consecutivo, enquanto que o HSBC Holdings valorizou para o valor mais alto num mês.

    O índice Euronext 100 subiu 0,11 por cento, para 1.027,36 pontos, e o índice DJ Stoxx 50 ganhou 0,04 por cento, para 3.867,53 pontos.

    As variações entre as congéneres da bolsa portuguesa oscilaram entre os 0,59 por cento de Londres e os 0,01 por cento de Milão.

    Madrid foi a excepção e fechou a cair 0,04 por cento.

    Na praça lisboeta, o BCP subiu 5,16 por cento, para 3,26 euros, com alguma imprensa a referir rumores do regresso de fusões e aquisições ao sector e uma eventual aproximação futura entre este banco e o rival BPI, que esta semana aumentou o seu poder no BCP.

    A Galp Energia liderou, no entanto, as subidas do PSI 20 ao valorizar 6,22 por cento, para 11,79 euros, depois da empresa ter assinado um memorando com a Petróleos de Venezuela (PDVSA) para estudar o desenvolvimento de projectos conjuntos no sector energético.

    Em causa podem estar o desenvolvimento de actividades de exploração, produção e abastecimento de petróleo e gás.

    Com ganhos superiores a 2 por cento fecharam os títulos da Jerónimo Martins (2,97 por cento), PT Multimédia (2,68 por cento) e BPI (2,56 por cento).

    A PT subiu 1,31 por cento, para 10,04 euros.

    A EDP fechou inalterada.

    Pela negativa, a Brisa perdeu 0,21 por cento, para 9,29 euros, a Impresa recuou 0,41 por cento, para 2,42 euros, a Semapa desvalorizou 0,43 por cento, para 11,70 euros, e a REN deslizou 0,58 por cento, para 3,44 euros.

    Durante a sessão de hoje foram transa
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.