Banco de Portugal espera recessão de 1,6% do PIB em 2013

Banco de Portugal espera recessão de 1,6% do PIB em 2013

 

Lusa/AO online   Economia   13 de Nov de 2012, 11:06

O Banco de Portugal reviu as suas projeções para o crescimento económico do próximo ano e antecipa agora uma recessão na ordem dos 1,6%, contrariando a projeção do Governo que prevê uma queda de 1%.

A perspetiva para a queda do Produto Interno Bruto (PIB) em 2012 mantém-se nos 3%, já estimados na última projeção e também em linha com o esperado pelo Governo e pela 'troika'.

No Boletim Económico de Outono hoje divulgado pelo banco central, a instituição liderada por Carlos Costa revê assim para pior as suas expectativas para o próximo ano, que no anterior boletim, publicado a 10 de julho, previa que a economia estagnasse.

As previsões do Banco de Portugal contrariam também as previsões do Governo incluídas na proposta de Orçamento do Estado para 2013 onde se estima uma recessão de apenas 1%.

Segundo o Banco de Portugal, a recessão prevista para o próximo ano é pressionada em especial por uma revisão significativa das perspetivas para a procura interna, onde antes se estimava uma queda de 1,4%, e o banco central antecipa agora uma queda de 4,5%.

Para este resultado contribui uma revisão em baixa das perspetivas para o consumo privado, com a expectativa que as famílias se contraiam ainda mais no próximo ano que o anteriormente esperado, depois de uma queda muito pronunciada já este ano.

O Banco de Portugal projeta uma queda no consumo privado de 5,8% este ano (antes esperava 5,6%) e no próximo ano também uma queda de 3,6% (antes 1,3%).

Também o consumo público o banco central estima uma queda mais pronunciada que o esperado no Boletim Económico de Verão. As estimativas apontam agora para uma queda de 3,9% em 2012 (anteriormente 3,8%) e de 2,4% em 2013 (1,6% no último boletim).

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.