Euronext Lisboa

Banca empurra PSI 20 para fecho negativo


 

Lusa / AO online   Economia   24 de Set de 2007, 18:02

A Euronext Lisboa fechou em queda, com as congéneres europeias mistas, com PSI 20 a recuar 0,84 por cento, para 12.058,76 pontos, pressionado pela banca.

Dos 20 títulos que integram o principal índice da bolsa portuguesa, 15 desceram, dois subiram e três ficaram inalterados, numa sessão de boa liquidez.

Pela positiva destaque para Jerónimo Martins e Galp Energia, únicos títulos que fecharam com ganhos.

Do lado negativo referência para BPI, Soares da Costa e BCP.

A Europa terminou o dia mista, pressionada em baixa por títulos do sector financeiro como Fortis, Barclays, BNP Paribas, Deutsche Bank, Royal Bank of Scotland e Société Générale, assim como da área tecnológica como Ericsson, Alcatel-Lucent e Nokia.

A pressionar em alta estiveram mineiras como BHP Billiton, Rio Tinto, Anglo American, Antofagasta e Xstrata, beneficiando da subida dos preços dos metais como ouro e prata, os construtores automóveis BMW, Renault e DaimlerChrysler e ainda as seguradoras Axa e Aviva.

Hoje o petróleo continuou a corrigir em baixa do máximo histórico atingido na quinta-feira, enquanto o euro voltou a tocar novo máximo de sempre contra o dólar no casa dos 1,40 dólares.

O índice de referência DJ Stoxx 50 terminou a descer 0,08 por cento, para 3.819,93 pontos, e o Euronext 100 a perder 0,16 por cento, para 1.010,23 pontos.

As bolsas de Milão, Londres e Madrid fecharam em alta, a ganhar 0,23, 0,14 e 0,31 por cento, enquanto Paris fechou a perder 0,14 por cento e Frankfurt a deslizar 0,08 por cento.

A Euronext Lisboa viveu uma sessão mais negativa que as principais bolsas europeias, penalizada sobretudo pelo sector da banca, que acompanhou a tendência do exterior.

O BPI liderou as quedas do dia, ao deslizar 2,9 por cento para 6,02 euros, o BCP desceu 2,32 por cento para 2,95 euros e o BES caiu 0,95 por cento para 15,65 euros.

O maior banco privado português foi o título mais negociado do dia, com 24,7 milhões de acções trocadas.

O sector da construção esteve também entre os mais penalizados, com Soares da Costa e Mota-Engil a perder 2,65 e 2,0 por cento, para 2,20 e 5,39 euros, respectivamente.

A Brisa terminou também o dia negativa, com uma queda de 0,88 por cento para 9,02 euros.

O grupo Portugal Telecom (PT) teve um dia negativo, tendo a operadora de telecomunicações fechado a cair 0,1 por cento para 9,87 euros e a PT Multimédia a descer 0,92 por cento para 11,79 euros.

Na sexta-feira ao final do dia, a PT anunciou que o 'spin-off' da PT Multimédia será realizado na semana de 29 de Outubro.

A REN fechou a recuar 1,15 por cento para 3,44 euros, enquanto a EDP terminou inalterada nos 4,02 euros e a Galp Energia a subir 0,55 por cento para 10,98 euros.

A Jerónimo Martins protagonizou a segunda e maior subida do dia, ao avançar 1,25 por cento para 4,05 euros.

A empresa portuguesa anunciou hoje que a Biedronka, cadeia de retalho polaca da Jerónimo Martins, espera fechar este ano com vendas de 2,3 mil milhões de euros, o que traduz um crescimento de 32 por cento face a 2006.

No universo Sonae, a Sonaecom fechou estável nos 3,48 euros, enquanto a Sonae Indústria e a casa-mãe encerraram no 'vermelho', a perder 0,82 e 1,6 por cento, para 8,45 e 1,84 euros, respectivamente.

Durante a sessão de hoje foram transaccionadas 65,3 milhões de acções no principal índice da bolsa portuguesa, correspondentes a um volume de negócios de 223 milhões de euros.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.