Orçamento de Estado 2008

Baixa do IVA é desaconselhável


 

Lusa / AO online   Economia   24 de Out de 2007, 14:52

A economista Teodora Cardoso defendeu que uma descida a curto prazo do IVA em Portugal teria um efeito positivo na economia mas seria desaconselhável.
A descida do IVA teria um "efeito imediato no PIB" já que é hoje o consumo privado que está a travar o crescimento económico, afirmou a economista num debate sobre o Orçamento do Estado para 2008 organizado pelo Forum pela Competitividade.

No entanto "uma redução do IVA teria para Portugal um efeito completamente perverso", considerou. Esta medida fiscal daria a ideia de que os consumidores poderiam gastar mais dinheiro, reduzindo ainda mais a poupança dos portugueses, argumentou Teodora Cardoso.

Assim o resultado seria um aumento indesejável das importações, com o consequente agravamento do endividamento externo do Estado e dos particulares, porque a produção nacional não está preparada para responder a este acréscimo da procura, explicou.

A especialista em finanças públicas disse ainda que o período das taxas de juro baixas acabou, pelo que é preciso ter cuidado com a emissão de dívida pública.

Na sua opinião, o financiamento das despesas de contenção através da emissão de dívida é desaconselhável, perspectiva com a qual o economista e ex-secretário de Estado do Tesouro, António Nogueira Leite concordou.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.