Açoriano Oriental
Azores Rallye não é do GDC nem de São Miguel; “tem que ser um desígnio regional”

No dia em que o Grupo Desportivo Comercial reúne em Assembleia Geral Extraordinária para alterar os estatutos e o regulamento interno, presidente do clube, Rui Moniz, faz o balanço dos primeiros cinco meses de mandato e reforça discurso de união

Azores Rallye não é do GDC nem de São Miguel; “tem que ser um desígnio regional”

Autor: Arthur Melo

Esta segunda-feira os sócios do Grupo Desportivo Comercial reúnem em Assembleia Geral Extraordinária pelas 20h00. Quais são os assuntos que vão ser debatidos esta noite com os associados?
A assembleia geral foi convocada para discutir e aprovar a alteração dos estatutos e um novo regulamento interno, documentos que datam de 1960.

Das várias alterações propostas aos estatutos, quais considera como sendo as mais importantes e relevantes para o clube?
O objetivo foi atualizar os estatutos para dotar o clube de uma matriz orientadora e facilitadora do seu desenvolvimento. Destaco: a criação de um conselho consultivo; a alteração da duração do mandato dos órgãos sociais para três anos, com uma limitação de três mandatos consecutivos; a introdução de uma segunda assembleia geral extraordinária para aprovação do plano de atividades e orçamento; a alteração na composição das secções desportivas; e a divisão dos sócios efetivos em ordinários, desportistas e colaboradores.


Pode ler a entrevista na íntegra na edição desta segunda-feira, 9 dezembro 2019, do jornal Açoriano Oriental





 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.