Açoriano Oriental
Autarca de Viana pede intervenção de Cavaco Silva no diferendo dos Estaleiros e Açores
O autarca socialista de Viana do Castelo afirmou-se "indignado" com o anúncio do Governo Regional dos Açores de que vai encomendar dois novos navios, depois da rejeição do "Atlântida", apelando à intervenção do Presidente da República.
Autarca de Viana pede intervenção de Cavaco Silva no diferendo dos Estaleiros e Açores

Autor: Lusa/AO online

Em carta enviada a Cavaco Silva e ao primeiro-ministro, hoje tornada pública, o presidente da Câmara de Viana do Castelo recorda que o ferryboat "Atlântida", construído nos estaleiros navais do concelho sob encomenda dos Açores, está a "apodrecer" desde 2009, altura em que foi rejeitado por aquele Governo Regional.

Por isso, na mesma missiva, José Maria Costa diz manifestar "profunda indignação" pela situação e apela "para que seja estabelecido um contacto urgente com o Governo Regional dos Açores a fim de obter a regularização urgente do contencioso" entre a empresa e órgãos regionais, para "viabilizar a aquisição do segundo navio encomendado aos estaleiros vianenses".

A encomenda dos Açores aos Estaleiros Navais de Viana do Castelo (ENVC) envolvia, além do ferryboat "Atlântida", um segundo navio do género, o "Anticiclone", que estava em construção quando a empresa pública de transporte marítimo dos Açores Atlânticoline rescindiu o contrato, em 2009, alegando que o primeiro destes não atingia a velocidade máxima contratada.

Já no último domingo, o presidente do Governo Regional dos Açores, Vasco Cordeiro, anunciou a encomenda da construção de dois novos navios de transporte de passageiros e viaturas entre as ilhas do arquipélago. O investimento pretende dar corpo ao desejo do executivo de criar, à escala regional, um "verdadeiro mercado interno açoriano", uma área em que se assiste a uma "revolução tranquila", explicou ainda o governante socialista.

Aquando da rescisão do contrato com os ENVC, para a construção do mesmo género de navios, Vasco Cordeiro era precisamente secretário regional da Economia, com a tutela da área dos Transportes e da empresa pública Atlânticoline, que fez a encomenda aos ENVC.

Face a este anúncio, o também socialista e autarca de Viana do Castelo assume "preocupação" com o facto de o Governo Regional estar a gastar 6,1 milhões de euros por ano para assegurar as ligações entre as ilhas - com recurso a dois navios fretados para o efeito -, quando o ferryboat "Atlântida" permanece atracado em Lisboa desde o verão de 2011.

"É uma situação que não se configura do interesse público, que é lesiva para as finanças do Estado português e surrealista aos olhos dos portugueses", afirma José Maria Costa, garantindo que a aquisição de dois novos navios pelo Governo dos Açores, a concretizar-se, será de "enorme gravidade".

"Inexplicável para toda a população portuguesa, que tão fustigada tem sido pelos sucessivos aumentos de impostos e que estão a suportar o dispêndio de 6,1 milhões para assegurar as ligações entre as ilhas do arquipélago dos Açores", defendeu ainda o autarca.

Após a rescisão do contrato, aquele ferryboat - construído especificamente para os portos da região e que continua sem comprador - acabou por ser aceite pelos ENVC. Em 2009 foi assinado um acordo com o Governo dos Açores, pagando os estaleiros 40 milhões de euros (verbas adiantadas pelos Açores), não apenas pelo "Atlântida", mas também pelos blocos do "Anticiclone", que ficou por concluir.

 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.