Ausência de Scolari no banco vai ser situação "estranha"


 

Lusa / AO online   Futebol   9 de Out de 2007, 15:27

O futebolista internacional português Nuno Gomes admitiu hoje que vai ser uma “situação estranha” a ausência, por castigo da UEFA, do seleccionador Luiz Felipe Scolari nos jogos no Azerbaijão e Cazaquistão, de apuramento para o Euro2008.
    Na concentração da equipa, de manhã em Oeiras, Nuno Gomes antecipou os dois decisivos compromissos na caminhada rumo ao Europeu, sábado e dia 17, e, apesar de admitir estranheza pela ausência de Scolari no banco de suplentes, depositou total confiança no adjunto Flávio Teixeira “Murtosa”.

    “Sim, vai ser estranho. É uma situação estranha o ‘mister’ não estar no banco. Mas todos temos confiança no 'Murtosa'. Está junto de nós desde o início e é experiente nestas andanças, percebendo muito de futebol. Vamos ajudá-lo em tudo o que precisar. Mas o ‘mister’ vai estar no nosso dia-a-dia e, por isso, não vai haver dificuldades”, disse Nuno Gomes.

    Com 66 internacionalizações e motivado pelos dois golos apontados domingo pelo Benfica frente à União de Leiria, Nuno Gomes lembrou que Portugal não está numa situação confortável no Grupo A de apuramento para o Europeu da Áustria e Suíça, mas também sublinhou o valor da equipa das “quinas”.

    “Claro que gostaríamos de estar numa situação mais confortável, mas sabemos do nosso valor. Estamos obrigados a ganhar, mas infelizmente isso não é novo. Os jogadores estão habituados à pressão. Se estivermos ao nosso melhor nível conseguiremos vencer. Sabemos que não é fácil e temos de estar unidos”, avisou.

    “Capitão” na ausência de Jorge Andrade, Nuno Gomes admitiu que até poderá ter mais responsabilidades pela ausência de Scolari do banco, mas explicou também que todos os jogadores sabem perfeitamente o que têm de fazer e qual o seu papel na equipa.

    “O capitão tem outras responsabilidades e eu tento, com a minha experiência, transmitir aos jogadores as ideias do treinador. Mas, hoje em dia, a mentalidade é outra e todos os jogadores sabem o que têm de fazer e as suas responsabilidades”, disse, aproveitando para deixar um “abraço de rápidas melhoras a Jorge Andrade”, lesionado.

    O avançado do Benfica considerou que os pontas-de-lança portugueses não têm desiludido e revelou não saber ainda se vai ou não ser titular, mesmo tendo apenas como concorrente Hugo Almeida.

    Também o central Tonel, utilizado apenas uma vez por Scolari (na vitória sobre o Cazaquistão por 3-0, em Coimbra), revelou felicidade pelo regresso aos trabalhos da equipa das “quinas” e explicou que, mais importante que a sua titularidade, é a vitória lusa nos dois próximos jogos.

    “Qualquer jogador gosta de ser titular, mas mais importante é que a selecção consiga vencer estes dois jogos. Estamos numa fase crucial para os nossos objectivos”, considerou.

    O defesa central, autor de um dos golos com que sábado o Sporting derrotou o Vitória de Guimarães (3-0) desvalorizou, por seu lado, a ausência de Scolari do banco e, tal como Nuno Gomes, depositou total confiança em “Murtosa”.

    “Queremos ganhar os dois jogos e estamos a trabalhar da melhor maneira. O ‘mister’ não pode estar no banco, mas Flávio Teixeira sabe bem que fazer. As coisas vão correr naturalmente”, concluiu.

    A selecção portuguesa de futebol treina hoje às 17:00 no Estádio Nacional e viaja para o Azerbaijão às 08:20 de quarta-feira.

    O encontro entre as duas selecções está agendado para sábado, às 21:00 locais (17:00 em Lisboa), no Republican Stadium, em Baku.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.