Açoriano Oriental
Associações de cinco países sensibilizam jovens para as potencialidades do mar

Associações de Açores, Letónia, Finlândia, Espanha e Itália estão a promover um projeto para sensibilizar os jovens para as potencialidades da economia do mar, sobretudo na área do turismo.


Foto: Direitos Reservados
Autor: Lusa/AO Online

“Os Açores são nove ilhas e aquilo que nós notamos é que as nossas comunidades vão tendo sempre alguma dificuldade em aproveitar as potencialidades associadas ao mar. Foi esse o mote para este projeto”, adiantou o presidente da Associação Juvenil da Ilha Terceira (AJITER), Décio Santos, numa conferência de imprensa em Angra do Heroísmo.

O projeto Sail4employment, orçado em 50 mil euros e financiado pelo programa comunitário para a mobilidade juvenil, Erasmus+, através da Agência Nacional Juventude em Ação, é coordenado pela AJITER, mas conta com a colaboração de quatro outras associações: a Sail Training Association of Latvia, da Letónia, a Associazione Europalmente, de Itália, a SNUPU, da Finlândia, e a ATYLA, de Espanha.

Numa primeira fase, estas associações vão formar 12 animadores de juventude (dois da ilha Terceira) a bordo do navio Spaniel, da associação da Letónia, entre 30 de março e 06 de abril, em Tenerife, nas Canárias (Espanha).

“Estes animadores de juventude vão aprender como serem eles próprios multiplicadores deste interesse pelo mar e de uma nova sensibilidade para as potencialidades do mar”, frisou Décio Santos.

A segunda fase do projeto terá lugar já em terra, na ilha Terceira, durante 10 dias, numa data ainda a definir, e será destinada a 27 jovens das cinco regiões envolvidas, entre os 14 e os 30 anos, “que não se encontram enquadrados nos sistemas de ensino, formação ou trabalho”.

“Vai haver um programa de atividades, algumas delas relacionadas com o mar, envolvendo parceiros locais que atuam nessa área, e que pretendem sensibilizar as pessoas para as potencialidades que o mar tem na criação de emprego e dar-lhes os conhecimentos para utilizarem os recursos existentes”, revelou o presidente da AJITER.

Segundo Décio Santos, o objetivo é “promover as potencialidades do mar para a criação de novos serviços turísticos por jovens” e dar a conhecer os mecanismos existentes, como por exemplo, os fundos comunitários existentes para apoio a investimentos nesta área.

Há mais de 20 anos que a Sail Training Association of Latvia dá formação em vela a jovens na Lituânia, o que segundo Sintija Lase é uma experiência que vai para além dos ensinamentos técnicos.

“Não é habitual estes jovens passarem uma semana num barco de formação em vela, a viver em conjunto. Eles acabam por desenvolver algumas competências não só sobre como velejar, mas sobre como viver em comunidade”, salientou.

Segundo a dirigente da associação lituana, os jovens acabam por adquirir competências úteis na integração do mercado de trabalho.

“Ao longo dos anos, temos verificado que existe um impacto positivo. Não é só entrar num barco e ir para o mar. Tem impacto na forma como as pessoas se desenvolvem, nas competências interpessoais que elas ganham, na forma como reagem em situações de conflito, na forma como trabalham em equipa e em algumas competências práticas como cozinhar, limpar, serem pontuais...”, referiu.

Neste projeto, para além da experiência a bordo do veleiro, os participantes vão discutir as potencialidades do mar e trocar ideias sobre possíveis negócios.

“Vemos o mar como um recurso importante para muitas atividades ligadas ao turismo ativo, algumas que possivelmente ainda nem foram descobertas. É uma forma de explorar o que podemos fazer”, destacou Sintija Lase.


Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.