Política

António Barreto critica a "governação para as sondagens"


 

Lusa / AO online   Nacional   30 de Out de 2009, 11:16

O sociólogo António Barreto considerou na quinta-feira à noite, em Coimbra, que a perda da ideia de mandato é uma das dificuldades de governabilidade nas democracias modernas, onde a informação imediata gerou Governos para “as sondagens”.
“A informação imediata tem muitos méritos, mas gerou os Governos para as sondagens que destruíram o mandato democrático, um dos actos mais nobres da vida política”, afirmou o académico, que intervinha num jantar/conferência sobre o tema “Das dificuldades de governar Portugal”.

“Desapareceu totalmente a ideia de mandato e três dias depois de qualquer Governo ou presidente da Câmara eleito há uma sondagem que destrói qualquer discussão séria sobre o que se está a fazer”, acrescentou o sociólogo.

Segundo António Barreto, 15.º convidado da Fundação Inês de Castro para o ciclo “Jantar na Quinta às Quintas”, “a vida política democrática ainda não soube encontrar meios de valorizar ou revalorizar a função de mandato, que é a nobilíssima função de depósito de confiança nas mãos de alguém, e portanto os Governos têm de governar para as sondagens”.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.