Alemão vence festival de cinema gay e lésbico de Lisboa


 

Lusa/AOonline   Nacional   23 de Set de 2007, 15:26

O realizador alemão Stefan Westerwelle, vencedor do Festival de Cinema Gay e Lésbico de Lisboa com a longa-metragem "Solange du hier bist", revelou que o próximo filme vai ser fora da temática gay "para alcançar mais público".


Entrevistado depois de ter sido galardoado com o Prémio de Melhor Longa-Metragem, na cerimónia de encerramento da 11ª edição do festival, o jovem realizador disse estar "muito contente, mas surpreendido" por ter sido escolhido pelo júri.

 Porém, "Solange du hier bist", primeira longa-metragem, realizada em 2006 "com um orçamento muito baixo por ter sido um trabalho de fim de curso", contabiliza já um assinalável palmarés de prémios europeus conquistados em festivais da temática gay, nomeadamente na Alemanha, Espanha e Itália.

Stefan Westerwelle, 27 anos, disse que o filme continua a rodar por festivais, num total de 40 até ao momento, e tem a garantia de que será distribuído na Alemanha para ser exibido nas salas de cinema.

"Solange du hier bist/Enquanto estás aqui" (tradução livre) mostra a relação entre um jovem prostituto e um homem muito mais velho, num envolvimento crescente em direcção a uma história de amor que ultrapassa as diferenças físicas e sociais entre ambos.

O júri do festival justificou a decisão "pelo equilíbrio entre a forma e o conteúdo e porque a solidão e a proximidade da morte, temas não frequentemente tratados no cinema, fazem com que o filme abra portas a públicos, independentemente da sua sexualidade".

Stefan Westerwelle explicou que o projecto do filme lhe surgiu quando recusou fazer o serviço militar na Alemanha, optando por serviço social, trabalhando como voluntário num lar de idosos.

"Essa proximidade com a velhice e com a morte suscitou-me questões com as quais nunca antes me tinha deparado", referiu, acrescentando que o impressionou o facto de as pessoas mudarem fisicamente com a idade, mas a capacidade de amar, de ter sentimentos profundos, se manter ao longo da vida.

Apesar do sucesso conquistado pela primeira obra, realizada como trabalho final do curso de Televisão e Cinema da Academy of Media Arts de Colónia, o realizador quer agora dedicar-se a um projecto fora da temática gay e lésbica.

"Estes filmes são vistos quase só por um nicho da sociedade, a comunidade 'queer', porque os preconceitos continuam a existir. Eu quero alcançar um público mais vasto e por isso o meu próximo filme vai ser 'straight' [heterossexual]", revelou, acrescentando logo a seguir que voltará com certeza à temática gay.

Stefan Weterwelle realizou anteriormente o documentário "Nach oben offen" (2006), e as curtas-metragens de ficção "Denk dir uns zwei" (2004), "Fern von Dem" (2004) e "Weil nun die Nacht kommt" (2003).

Nesta 11ª edição do Festival de Cinema Gay e Lésbico de Lisboa - que exibiu 90 filmes no Cinema São Jorge - também foram premiados "Estrellas de la Línea" (Espanha, 2006), de Chema Rodríguez, eleito o Melhor Documentário do festival e o Prémio do Público foi entregue à curta-metragem documental "Singularidades", do realizador brasileiro Luciano Coelho, ambos ausentes do certame, mas que enviaram mensagem de agradecimento pelos galardões.

Também foi atribuída uma Menção Especial à actriz brasileira Carla Ribas pela sua interpretação no filme "A casa de Alice", do realizador brasileiro Chico Teixeira.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.