Construção

AICCOPN pede ao Governo para investir em Projectos de Interesse Local


 

Lusa/AO online   Economia   25 de Ago de 2008, 18:55

A Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas (AICCOPN) defendeu a necessidade do Governo avançar com Projectos de Interesse Local, lamentando que tenham sido afastados da possibilidade de recurso a apoios no âmbito do QREN.
    "A par dos grandes projectos de infra-estruturas com impacto nacional e dos investimentos de natureza privada classificados como Projectos de Interesse Nacional (PIN), é fundamental avançar com Projectos de Interesse Local", sustenta a associação em comunicado.

    Salientando a "incapacidade financeira da grande maioria das câmaras municipais para concretizarem projectos de média dimensão", a AICCOPN considera ser "fundamental que o Governo encontre forma de os tornar realidade", uma vez que "há muito a fazer em todos os concelhos, seja em matéria de saneamento básico, redes de estradas locais e regionais, serviços públicos de proximidade na saúde, educação, justiça e administração interna, entre outros".

    A associação lamenta que os Projectos de Interesse Local "tenham sido praticamente afastados da possibilidade de recurso a apoios no âmbito do Quadro de Referência Estratégico Nacional 2007/2013 (QREN)", que diz ter sido "desenhado quase em exclusivo para os grandes projectos".

    Neste sentido, a AICCOPN critica "a excessiva concentração nos projectos de maior dimensão", defendendo a importância em "apostar na redução das assimetrias regionais, promovendo a coesão nacional e, dessa forma, criar condições para que empresas e cidadãos se possam fixar em regiões que estão a perder população".

    A associação defende também a necessidade de investimento na manutenção das infra-estruturas existentes, de modo a evitar "a permanente degradação em que muitas delas se encontram".

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.