Açorianos vivem menos três anos e casam mais cedo

Açorianos vivem menos três anos e casam mais cedo

 

Paula Gouveia   Regional   10 de Nov de 2009, 17:38

Os açorianos podem esperar viver menos três anos do que os restantes portugueses, apesar de residirem na região do país com a maior percentagem de jovens (18,8%) e a mais baixa percentagem de idosos (12,4%).
O retrato demográfico dos Açores, a partir do estudo do Instituto Nacional de Estatística (INE) relativo a 2008, mostra no entanto que a esperança média de vida tem vindo a aumentar nos Açores (entre o triénio 1999-2001 e o triénio 2005-2007, houve um aumento de 2,78 anos, fixando-se nos 75,26 anos) e que os açorianos em idade activa têm um peso importante na população. No ano passado, nos Açores, havia 45,3  jovens (dos 0-14 anos) e idosos (com 65 ou mais anos)  por cada 100 indivíduos em idade activa (15-64 anos).

O envelhecimento populacional não é pois ainda um problema para o arquipélago. A Região tem conseguido manter positiva a taxa de crescimento efectivo (0,32%), acima da média nacional, em resultado do saldo positivo dos nascimentos (face aos óbitos) e das migrações - em 2008, houve um acréscimo de 774 indivíduos.


Leia esta notícia na íntegra no jornal Açoriano Oriental de Quarta-Feira, dia 11 de Novembro de 2009

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.