Braga

Vendem portáteis mas entregam pedras aos clientes


 

Lusa / AO online   Nacional   20 de Nov de 2007, 09:53

A GNR de Braga está a investigar um caso de burla, envolvendo dois homens, que vendem computadores portáteis a 250 euros, entregando depois ao incauto comprador um saco com duas pedras, disse à Lusa fonte policial.

A fonte adiantou que há já vários casos conhecidos, um dos quais ocorreu em Ferreiros, arredores de Braga, quando dois homens entraram num café da zona e burlaram o proprietário, vendendo-lhe um saco de computador com uma pedra bem trabalhada no interior.

Os dois homens, com idades entre os 30 e os 40 anos, apresentaram-se ao dono do café, bem vestidos e engravatados, aparentemente com dois computadores portáteis.

Feito o primeiro contacto, um deles tirou um computador portátil do saco, com aspecto de novo, e fez as necessárias demonstrações ao cliente, para lhe mostrar as suas diversas funcionalidades, incluindo a capacidade de acesso à Internet.

Com uma filha em idade escolar e a fazer anos nos próximos dias, o dono do bar aceitou o negócio.

Voltou-se, então, para a caixa registadora para retirar os 250 euros, o que permitiu aos dois vendedores a troca do saco, de forma a entregar-lhe o que continha a pedra.

"A pedra fora alisada e cortada de forma a preencher o espaço do saco e estava colada ao forro", salientou a fonte, frisando que, quando o dono do café abriu a pasta, já os "vendedores" estavam longe.

A fonte sublinhou que, embora seja recente que o conto do vigário envolva computadores portáteis, tinham sido já registados na zona, nos últimos anos, estratagemas idênticos com venda de telemóveis e também de pistolas.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.