Comércio

Vendas a retalho cresceram 1,9% em Julho


 

Lusa/AO online   Economia   29 de Ago de 2008, 11:24

As vendas no comércio a retalho cresceram 1,9 por cento em Julho, face ao mesmo período de 2007, o que representa uma recuperação de 3,5 percentuais em relação a Junho, anunciou o INE.
De acordo com os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) a subida das vendas do comércio a retalho, deflacionadas e corrigidas dos dias úteis e da sazonalidade, foi determinada pelos "comportamentos positivos" nos agrupamentos produtos alimentares e produtos não alimentares.

    No agrupamento produtos alimentares, segundo o INE, o acréscimo foi de 2,9 por cento, enquanto no agrupamento produtos não alimentares a subida foi de 1,0 por cento.

    "A redução da taxa normal do IVA, previamente anunciada para o início de Julho, terá contribuído para o comportamento diferenciado que se observou nas vendas do retalho em Junho e Julho", justifica o INE.

    A variação mensal das vendas no comércio a retalho foi de 3,5 por cento, um crescimento de 5,4 pontos percentuais face a Junho, com o comércio de produtos alimentares a crescer 3,7 por cento e o comércio de produtos não alimentares a subir 3,3 por cento.

    A variação média nos últimos doze meses foi de 0,6 por cento, tendo aumentado 0,2 pontos percentuais em relação a Junho.

    O emprego no comércio a retalho aumentou 2,3 por cento em Julho, face ao mesmo período de 2007.

    Em Julho, o volume de trabalho corrigido dos dias úteis aumentou 1,4 por cento face ao mesmo mês do ano passado e 0,6 pontos percentuais face a Junho deste ano.

    As remunerações brutas aumentaram 6,8 por cento em Julho face ao mesmo mês de 2007, o que representa uma aceleração de 0,2 pontos percentuais face a Junho.

    A variação média dos últimos 12 meses foi de 6,6 por cento, 0,1 ponto percentual superior à registada em Junho.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.