Vasco Cordeiro acusa PSD/Açores de não apresentar "soluções"

Vasco Cordeiro acusa PSD/Açores de não apresentar "soluções"

 

Lusa/AO online   Regional   12 de Nov de 2013, 11:31

O presidente do PS nos Açores, Vasco Cordeiro, acusou o PSD de não apresentar soluções, ainda em resposta às críticas do partido da oposição relativas aos números mais recentes do desemprego na região.

 

"É estranho assistir ao discurso de alguns que se prendem apenas com a parte do problema, mas que nunca são capazes de dar um passo significativo na construção de soluções. Fique o PSD/Açores com a parte do problema, que o Partido Socialista e o seu governo continuarão a trabalhar na parte das soluções", frisou.

Vasco Cordeiro, que é também presidente do Governo Regional, discursava na sessão de abertura das jornadas parlamentares do PS/Açores sobre o Plano e Orçamento para 2014 da região, que decorrem na ilha Terceira.

O líder regional socialista reiterou que o executivo açoriano vai dar uma "atenção permanente" às medidas que ajudem a manter ou criar empregos.

Nesse sentido, salientou que em 2014 o Governo Regional vai mobilizar 75% do investimento público para "enfrentar e para vencer dois grandes desafios: em primeiro lugar, a empregabilidade dos açorianos e a competitividade e, em segundo lugar, a qualificação e a inclusão social".

"Neste momento em que tantos gostam de dizer que estão reunidos à volta do Plano e do Orçamento da nossa região, o PS reúne-se não para falar mal do Governo, mas para discutir e construir as melhores soluções para o futuro dos Açores", frisou.

Vasco Cordeiro destacou também o investimento previsto para 2014 no apoio social, realçando que o executivo vai afetar 25 milhões de euros para apoiar mais de 34 mil idosos e 19 milhões de euros na remuneração complementar para 13 mil funcionários públicos, que considerou "um dos setores mais martirizados" da sociedade.

Criticando os que acham que "é sempre tudo muito pouco" e que "nunca nada é positivo", o líder regional socialista frisou que entre 2009 e 2013 os governos do PS nos Açores aumentaram o complemento regional de pensão em 22%.

"A questão não é de valor, não é de montante financeiro, é de recursos que servem açorianas e açorianos muito concretos, que vivem nestas nove ilhas e que contam com estes apoios, com estas medidas do Partido Socialista, para ultrapassar esta fase difícil que vivemos", salientou.

Por sua vez, o líder da bancada parlamentar do PS na Assembleia Legislativa dos Açores, Berto Messias, criticou o "desmerecimento lamentável" por parte de alguns partidos regionais do Plano e Orçamento para 2014, realçando o investimento no apoio social.

"Quando em Portugal continental se corta a torto e a direito, quando na Europa, em muitos países, a palavra de ordem é cortar apoios sociais, no meio deste cenário, haver um governo que tem a capacidade de manter, e nalguns casos aumentar, os apoios sociais que temos, acho que é um facto de grande relevância política e um facto que deve ser motivo de satisfação para todos os agentes do sistema político dos Açores", frisou.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.