Unidade de Saúde da ilha de São Miguel contrata “nove médicos de família”

Unidade de Saúde da ilha de São Miguel contrata “nove médicos de família”

 

Lusa/AO online   Regional   28 de Set de 2018, 18:25

A presidente do conselho de administração da Unidade de Saúde da ilha de São Miguel (USISM), nos Açores, adiantou hoje à agência Lusa que serão contratados até meados de novembro "nove médicos" de medicina geral e familiar.

"A Unidade de Saúde de São Miguel abriu dois concursos para a ilha de São Miguel, um de quatro (médicos) e outro de cinco, portanto vão entrar nove médicos novos de medicina geral e familiar para a ilha de São Miguel", disse Teresa Luciano.

A responsável garante que até meados de novembro próximo os dois concursos estarão concluídos.

"Um (concurso) já terminou, vai ser publicado para a semana em Diário da República, portanto para meio de outubro teremos mais quatros novos médicos, o outro concurso está a decorrer e no máximo a meio de novembro entrarão mais cinco novos médicos. Estes nove médicos irão para o centro de saúde de Ponta Delgada e para o Centro de Saúde da Ribeira Grande, que são os dois que neste momento ainda têm utentes sem médico (de família)", explicou.

Teresa Luciano explica que os três médicos que serão colocados no Centro de Saúde da Ribeira Grande vão assegurar que toda a população ribeiragrandense fique coberta com médico de família.

"O centro de saúde da Ribeira Grande vai ficar sem utentes sem médico e, portanto, totalmente coberto e só o Centro de Saúde de Ponta Delgada é que fica com utentes sem médico (de família) que esperamos em 2019 melhorar esta situação, portanto comparativamente a dezembro de 2017 estamos numa situação que estamos todos orgulhosos", afirmou.

A presidente do conselho de administração da USISM garante que no caso dos centros de saúde de Vila Franca do Campo, Nordeste e Povoação "todos os utentes têm médico de família" e que Ponta Delgada é o único concelho micaelense que continua a ter residentes sem médico de família.

"Vão ficar cerca de 22% dos utentes (de Ponta Delgada) sem médico de família, são cerca de 22 mil utentes, se em dezembro de 2017 falávamos em 47 mil?", sublinhou.

Teresa Luciano explica que os médicos contratados estão "maioritariamente" a fazer internato no serviço regional de saúde.

"Maioritariamente são os nossos internos formados pelos nossos médicos de medicina geral e familiar que querem continuar a trabalhar connosco. Vêm quatro de fora e o fora pode ser do continente ou de outras ilhas", lembrou.

A presidente do conselho de administração da USISM recordou ainda que esta semana entraram "14 novos enfermeiros", o que vai "permitir reduzir horas extras".



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.