Trump elogia “trabalho incrível” do FBI e volta a apelar à união do país

Trump elogia “trabalho incrível” do FBI e volta a apelar à união do país

 

Lusa/Ao online   Internacional   27 de Out de 2018, 11:27

O Presidente norte-americano elogiou esta sexta feira o “trabalho incrível” da polícia federal norte-americana (FBI), momentos depois da divulgação da detenção de uma pessoa no âmbito da investigação aos pacotes suspeitos endereçados esta semana a várias personalidades democratas.

"Quero saudar o FBI, os serviços secretos, o Departamento de Justiça (…) e todas as forças de ordem em todo o país", afirmou Donald Trump, em declarações a partir da Casa Branca (sede da Presidência norte-americana), em Washington, acrescentando que procurar um suspeito neste caso é como “procurar uma agulha num palheiro".

Nas mesmas declarações, o chefe de Estado confirmou que as autoridades norte-americanas tinham sob custódia policial um suspeito e que a pessoa em questão, um homem identificado como Cesar Sayoc, será julgado “em toda a extensão da lei”.

As acusações que o detido pode enfrentar não são, até ao momento, conhecidas.

Ainda sobre este caso dos pacotes suspeitos, o Presidente voltou a afirmar que tais atos “são desprezíveis e não têm lugar em nosso país".

"Não podemos deixar a violência política enraizar-se na América (...) Devemos mostrar ao mundo que estamos unidos", reiterou Trump, que na passada quarta-feira já tinha afirmado que "a violência política" não é tolerável nos Estados Unidos e já tinha apelado à união do país.

Trump faz estas declarações algumas horas depois de ter lançado na rede social Twitter fortes críticas à comunicação social, ao ter afirmando que os ‘media’ estavam focados nestes recentes incidentes e estavam a desviar a atenção dos esforços dos republicanos para as futuras eleições intercalares norte-americanas.

Cesar Sayoc, um homem de 56 anos com antecedentes criminais, foi hoje detido no Estado norte-americano da Florida no âmbito da investigação aos pacotes suspeitos endereçados esta semana a várias personalidades democratas e críticas da administração Trump.

Registos judiciais citados pelos ‘media’ norte-americanos revelaram que Cesar Sayoc tem um histórico de prisões por roubo, por posse ilegal de esteroides e uma acusação de ameaça de bomba em 2002.

Foi a primeira detenção realizada pelo FBI desde o início da investigação, numa altura em que o número de encomendas suspeitas identificadas desde segunda-feira subiu hoje para 12.

As autoridades norte-americanas admitem que outras detenções possam ocorrer.

Nos últimos dias, vários pacotes suspeitos, todos potencialmente armadilhados, foram endereçados a políticos democratas e a várias personalidades críticas do Presidente norte-americano, Donald Trump, como foi o caso da ex-secretária de Estado e ex-candidata presidencial Hillary Clinton, do ex-Presidente Barack Obama ou do milionário e filantropo George Soros.

O FBI está também a investigar o envio de pacotes suspeitos ao antigo vice-Presidente Joe Biden, ao ator norte-americano Robert de Niro e ao ex-Procurador-geral Eric Holder.

A estação norte-americana de informação CNN também foi visada nesta vaga de encomendas suspeitas.

Os dois últimos pacotes, identificados hoje, visavam o senador democrata do Estado de New Jersey Cory Booker e o antigo diretor dos serviços de informações dos Estados Unidos, James Clapper.

Estes incidentes estão a acontecer a cerca de duas semanas da realização das eleições intercalares norte-americanas, agendadas para 06 de novembro e que vão determinar a futura composição do Congresso.




Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.