Tiago Pires volta a ficar pelo caminho, já não há portugueses em prova

Tiago Pires volta a ficar pelo caminho, já não há portugueses em prova

 

Lusa/AO online   Outras modalidades   17 de Out de 2011, 16:58

O surfista Tiago "Saca" Pires foi hoje eliminado na segunda ronda do RipCurl Pro Portugal, em Peniche, mantendo a tradição de não conseguir passar as rondas inaugurais da prova portuguesa do circuito mundial de surf

No segundo dia da nona etapa do Circuito Mundial ASP, na praia de Supertubos, "Saca" disputou o sétimo "heat" frente ao brasileiro Heitor Alves, 16.º do "ranking" mundial e não conseguiu melhor do que 13,2 pontos, contra 15,5 do seu adversário.

"Faz parte do jogo. Não consegui apanhar as melhores ondas, senti-me bem, não acho que tenha cometido assim tantos erros. A minha escolha de ondas não foi a melhor hoje, mas também não é assim tão fácil lá dentro", disse aos jornalistas Tiago Pires.

O surfista português acresccentou: "Estava a apostar nas direitas [a onda que se desenvolve para a direita do surfista], mas elas estavam um bocado difíceis de surfar".

"Saca" realçou o apoio "carinhoso" do público português - milhares de pessoas voltaram a marcar presença em Peniche para um dia de surf com ondas entre dois a dois metros e meio -, mas admitiu a superioridade do adversário.

"Nem sempre podemos ganhar. Hoje o Heitor foi mais forte e eu tentei saber engolir a minha derrota", afirmou o surfista português, 17.º do "ranking" mundial.

Em 2010, o Rip Curl Pro Portugal foi ganho por Kelly Slater, que bateu na final Jordy Smith. Na altura, Tiago Pires foi eliminado na segunda eliminatória pelo norte-americano Brett Simpson, depois de ter sido relegado para a repescagem numa bateria com os australianos Adrian Buchan e Matt Wilkinson.

Os restantes portugueses em prova foram igualmente hoje eliminados: o "wild card" Francisco Alves sucumbiu ao melhor surf do australiano Taj Burrow, quarto do "ranking" mundial, não indo além de 6,57 pontos contra 16,1 do adversário.

"Apesar de ter sido eliminado, foi uma excelente oportunidade que me deram, tentei aproveitar ao máximo, estou muito contente de estar aqui no meio dos melhores do Mundo", disse à agência Lusa Francisco Alves, assumindo que "era muito difícil ganhar" a Taj Burrow.

Igual sorte teve Justin Mujica (8,64 pontos) frente ao brasileiro Adriano de Souza (16,83).

"É uma pena nenhum de nós portugueses ter conseguido passar à fase seguinte", frisou Justin Mujica.

Destacou as condições de mar "perfeitas, um dia épico" hoje à disposição da elite mundial do surf em Supertubos, não escondendo alguma tristeza por ter sido eliminado.

"Fico triste, chateado, isto mexe com as emoções. Mas o surf é assim", declarou.

Destaque ainda para a passagem à terceira ronda - que se cumpre na tarde de hoje - do sul- africano Jordy Smith, vice-campeão em Peniche em 2010 e do havaiano John John Florence, autor, esta manhã, das duas melhores ondas até agora surfadas em Supertubos, pontuadas com 9,73 e 9,8 pontos, num máximo de 10 pontos.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.