Terceiro dia de greve dos trabalhadores dos Registos com adesão de 95%

Terceiro dia de greve dos trabalhadores dos Registos com adesão de 95%

 

Lusa/Ao online   Nacional   29 de Dez de 2018, 11:55

O terceiro dia de greve dos trabalhadores dos Registos teve uma adesão de 95%, indicou esta sexta feira o Sindicato dos Trabalhadores dos Registos e do Notariado (STRN), estrutura que pondera já novas formas de luta.

Neste terceiro e último dia de greve a adesão (95%) foi igual à registada na quinta-feira e ligeiramente superior à verificada na quarta-feira (90%), de acordo com informação do STRN.

O sindicato diz agora esperar que a Secretária de Estado da Justiça ouça as reivindicações dos trabalhadores e aceite fazer as alterações que se impõem aos diplomas que regulam o setor.

O STRN defende que o Governo deve legislar com regras adaptadas às carreiras especiais e abandonar a colagem às carreiras gerais e "não olhar para a formação inicial específica dos novos trabalhadores de forma minimalista".

O sindicato defende também que os concursos externos devem "apenas ter o número de candidatos a admitir e não podem ter os postos de trabalho previamente identificados", como "sempre aconteceu e ainda acontece" em outras carreiras especiais.

"As regras de graduação dos candidatos nos diversos concursos devem ser totalmente transparentes. Este desígnio atinge-se com regras muito claras, objetivas e facilmente quantificáveis, em detrimento de regras subjetivas que levam à discricionariedade, à cunha e ao favorecimento", propõe ainda o sindicato.

O STRN sublinha que estas exigências não têm qualquer impacto financeiro e prendem-se apenas com a "visão boa ou má" que se queira para o setor.

Se não houver consenso sobre estas reivindicações, o STRN vai ponderar "novas formas de luta que podem passar por vigílias, greves, manifestações e ainda pela impugnação dos diplomas" em entendem existir ilegalidades.

"A decisão de podermos retomar as negociações em paz e num ambiente de colaboração depende apenas da Secretária de Estado", conclui o sindicato.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.