Teerão vai recusar qualquer "pedido excessivo" nas negociações com o grupo 5+1

Teerão vai recusar qualquer "pedido excessivo" nas negociações com o grupo 5+1

 

Lusa / AO online   Internacional   23 de Nov de 2013, 12:17

O Irão vai opor-se a qualquer "pedido excessivo" que o prive dos direitos nucleares nas negociações com as potências do grupo 5+1 em Genebra, declarou hoje o chefe da diplomacia iraniana, Javad Zarif, à televisão oficial iraniana.

 

“As negociações entraram numa fase muito difícil e os negociadores iranianos insistem nos direitos do nosso país. Não estamos prontos para aceitar um acordo que ameace os direitos e os interesses do Irão”, declarou Zarif.

“Vamo-nos opor a qualquer pedido excessivo”, disse.

“O enriquecimento de urânio deve fazer parte de qualquer acordo (…) Asseguramos À população que o enriquecimento nunca parará”, adiantou Zarif.

O enriquecimento de urânio pelo Irão está no centro das inquietações dos países ocidentais e de Israel, que temem que o urânico enriquecido a 20% seja utilizado para obter urânio a 90% para uma utilização militar, apesar dos desmentidos de Teerão.

O Irão afirma que este urânio se destina ao reator de investigação e médico de Teerão e insiste no direito a enriquecer no seu território.

Zarif também adiantou que ainda era “demasiado cedo para avaliar” os resultados das negociações, depois de terem chegado hoje a Genebra os ministros dos Negócios Estrangeiros do grupo 5+1 (Rstados Unidos, França, Reino Unido, Rússia, China e Alemanha) para utilizarem todo o peso na última linha dos debates.

“A presença (dos ministros) demonstra que se chegou a um estado onde a presença dos ministros é necessária (…) e que as negociações são sérias. Espero que façam prova de boa vontade”, adiantou.

Por outro lado, o chefe dos negociadores iranianos, Abbas Araghchi, escreveu na conta do Twitter que esperava que estes ministros dos Negócios Estrangeiros estivessem “prontos a tomar decisões difíceis”, classificando as negociações de “muito difíceis”.

Os diplomatas do grupo 5+1 estão a negociar desde quarta-feira um acordo para limitar o controverso programa nuclear iraniano em troca de uma suavização das sanções.

O ministro dos Negócios Estrangeiros britânico, William Hague, também sublinhou hoje que as negociações “continuam difíceis”.

Entretanto, o presidente iraniano, Hassan Rohani, também declarou hoje que Teerão “queria solucionar a questão nuclear no quadro das regras internacionais”.

“Não há dúvida nenhuma que o Irão não procura nem procurará obter armas de destruição em massa”, adiantou Rohani, entes de se encontrar com o primeiro-ministro-adjunto, Dmitry Rogozin, encarregado pelos assuntos de Defesa e Espaciais, que está a efetuar uma visita surpresa a Teerão.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.