Sporting campeão europeu de hóquei em patins 42 anos depois

Sporting campeão europeu de hóquei em patins 42 anos depois

 

Lusa/Ao online   Hóquei em Patins   12 de Mai de 2019, 19:32

O anfitrião Sporting conquistou este domingo, 42 anos depois, o seu segundo título de campeão europeu de hóquei em patins, ao bater na final o FC Porto por 5-2, numa ‘final four’ disputada no Pavilhão João Rocha, em Lisboa.

Toni Perez colocou os ‘leões' na frente, aos seis minutos, Reinaldo Garcia empatou, aos oito, mas os anfitriões da ‘final four’ chegaram ao intervalo a vencer por 4-1, com tentos de Vítor Hugo (11) e Ferran Font (12) e Gonzalo Romero (23).

Na segunda parte, Gonçalo Alves (39 minutos) ainda reduziu para o FC Porto, mas Ferran Font ‘fechou', pouco depois (42), as contas a favor da formação ‘verde e branca’.

O Sporting, que já havia ultrapassado o Benfica na meia-final da competição, por 5-4, conquistou o segundo título europeu na modalidade, depois do triunfo em 1976/77.

A equipa da casa abriu o marcador aos seis minutos, graças à inteligência de Toni Perez, que circundou a baliza e, de costas, atirou para o fundo das redes, surpreendendo o guardião Nélson Filipe, mas Reinaldo Garcia repôs a igualdade quase de imediato, aos oito minutos, com um ‘tiro' de muito longe.

Os ‘leões' chegaram novamente à vantagem, por Vítor Hugo, após assistência sublime de Ferran Font, que ampliou a vantagem sportinguista no minuto seguinte, na cobrança de um livre direto.

A dois minutos do descanso, Gonzalo Romero, o ‘herói’ da meia-final com o Benfica, ao marcar o 5-4 final, ‘furou' a defensiva portista pela direita e, na cara de Nélson Filipe, atirou para o quarto golo da formação da casa.

No segundo tempo, Hélder Nunes teve, em dois livres diretos, a oportunidade de reduzir para os portistas, mas encontrou uma muralha chamada Ângelo Girão, que foi preponderante para o triunfo ‘leonino' com defesas de grande nível.

Ferran Font também teve ocasião de repetir a façanha do terceiro golo, com novo livre direto, mas desta vez Nélson Filipe negou o golo ao espanhol.

Quando o jogo estava prestes a entrar nos 10 minutos finais, Gonçalo Alves reduziu para o FC Porto e reabriu a discussão da final, mas por poucos instantes, já que Ferran Font, num contra-ataque, desferiu um remate indefensável para o guardião portista e ‘fechou' o resultado.

Já perto do final, Ferran Font voltou a desperdiçar um livre direto que poderia sentenciar de vez o triunfo ‘leonino', com Gonçalo Alves a não conseguir finalizar da mesma forma para os portistas, o que levou à euforia os milhares de adeptos sportinguistas, que não arredaram pé até ao momento da entrega da taça, levantada pelo capitão Pedro Gil.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.