Música

Sons barrocos e clássicos invadem ilhas de bruma

 Sons barrocos e clássicos invadem ilhas de bruma

 

João Alberto Medeiros   Cultura e Social   30 de Out de 2008, 10:23

Igrejas e museus dos Açores constituem o palco privilegiado de doze dias de música interpretada por valores da denominada música antiga europeia e mundial
Está de volta um dos principais eventos culturais do ano, em termos musicais, nos Açores.
Trata-se do Festival de Música Antiga, uma iniciativa da Associação Musical  Johann Sebastian Bach.
A iniciativa conta com o apoio do Governo dos Açores e decorrerá de 1 a 12 de Novembro.
O festival abrange várias ilhas dos Açores, numa perspectiva de descentralização cultural.
De acordo com  Pasquale Sansonelli, director artístico da Associação Musical Johann Sebastian Bach, foram convidados artistas de renome mundial, no panorama da interpretação da denominada música antiga.
Estes artistas vão executar concertos que, abrangendo todas as ilhas dos Açores, irão dar ao público a oportunidade de ouvir um amplo leque de música de qualidade, desde a época do denominado Primeiro Barroco ao Classicismo, segundo a organização do evento.
O festival abre no próximo sábado, às 21h30, na Igreja do Colégio, em Ponta Delgada, com a interpretação do Coro e Orquestra Johann Sebastian Bach, sob a direcção de Cristiana Spadaro.
Participam Monica Cesar (soprano) Joana Nascimento, (mezzosoprano), Fernando Guimarães (tenor) e Bruno Pereira (baixo).
Apresentarão as 3ª e 6ª Cantatas da Oratória de Natal de J. S. Bach, importante obra do catálogo do mestre alemão.
Ainda no dia 1 de Novembro, às 21h30, na Igreja Matriz da Horta, no Faial, o ensemble Oman Consort, liderado pelo seu fundador, Michael Oman, irá interpretar obras de música de câmara instrumental de autores relacionados com os domínios do Império dos Absburgos do período entre os séculos XVII-XVIII.
O mesmo artista estará no dia 2 de Novembro, às 21h30, na Igreja de São Mateus, no Pico, e no dia 3 de Novembro, às 21h30, na Igreja de Nossa Senhora da Guia, no Convento de São Francisco do Museu de Angra do Heroísmo, na Terceira.
No dia 4 de Novembro, às 21h30, no Centro Cultural da Graciosa em Santa Cruz, e no dia 5 de Novembro, às 20h30, na Igreja Matriz das Velas, em São Jorge, La Real Cámara, grupo espanhol já presente na edição de 2006 do Festival, irá apresentar obras de autores ibéricos, ou de alguma forma ligados à Península Ibérica, com a presença da soprano Raquel Andueza, sob a direcção de Emilio Moreno.
No dia 8 de Novembro, às 21h30, na Igreja do Colégio em Ponta Delgada será a vez de actuar a Academy of Ancient Music.
Trata-se de uma das maiores e mais antigas orquestras do mundo especializadas na interpretação histórica, presente pela primeira vez nos Açores.
 Actuará sob a direcção do violinista Pavlo Besznosiuk, contando com a participação da soprano Elin Manahan Thomas.
Segundo Pasquale Sansonelli, o programa proposto está “centrado na transposição musical de fenómenos e aspectos da Natureza, segundo a visão de dois dos principais autores europeus do século XVIII: Vivaldi e Haendel”.
No dia 2 de Novembro, às 21h30, no Claustro Superior da Câmara Municipal da Vila do Porto em Santa Maria, actuará o Quarteto Com.Mozart.
O mesmo quarteto estará no dia 11 de Novembro, às 21h30, na Igreja Matriz de Vila Nova no Corvo.
No dia 12 de Novembro, às 21h30, no Museu das Flores, o Quarteto Com.Mozart executará obras de Joseph Haydn, na antecipação da homenagem ao bicentenário da morte do compositor austríaco, a comemorar em 2009.
 Pasquale Sansonelli regista a adesão do público a esta iniciativa que já se realiza há cinco anos.
O público tem sido bastante variado, embora o repertório seja bastante limitado, em termos musicais.
“Mesmo assim é uma música bastante acessível  para qualquer tipo de público. As igrejas e os museus estão sempre cheios. O público gosta desta música” - refere  Pasquale Sansonelli.
As primeiras edições do festival foram limitadas a Ponta Delgada.
Depois a iniciativa cresceu e passou a abranger todas as ilhas.
Os jovens, particularmente, manifestam-se fascinados  com a descoberta de novos instrumentos que chegam aos Açores através dos protagonistas do Festival de Música Antiga.
Gostam do repertório, segundo o director artístico da Associação Musical Johann Sebastian Bach.
Admite, por outro lado, que se venha a alterar o actual formato do festival, recuperando os cursos que foram ministrados nas primeiras edições, bem como eventualmente a realização de colóquios.
Milhares de pessoas têm vindo a aderir ao longo dos últimos anos a este festival que regista aceitação em todas as ilhas dos Açores, independentemente da sua dimensão.


Programa
01, Novembro
21h30 -  Coro e Orquestra
«Johann Sebastian Bach»
Igreja do Colégio, ilha de São Miguel

21h30 -  Oman Consort
Igreja Matriz da Horta, ilha do Faial


02, Novembro
21h30 -  Quarteto Com.Mozart
Claustro Superior da Câmara
Municipal da Vila do Porto, ilha
de Santa Maria

21h30 -  Oman Consort
Igreja de São Mateus, ilha do Pico


03, Novembro
21h30 -  Oman Consort
Igreja de Nossa Senhora da Guia (Convento de São Francisco) Museu de Angra, ilha da Terceira


04, Novembro
21h30 -  La Real Cámara
Centro Cultural da Graciosa Santa Cruz, ilha da Graciosa


05, Novembro
21h30 -  La Real Cámara
Igreja Matriz das Velas,
ilha de São Jorge


08, Novembro
21h30 -  Academy of Ancient Music
Igreja do Colégio , ilha de São Miguel


11, Novembro
21h30 -  Quarteto Com.Mozart
Igreja Matriz da Vila Nova,
ilha do Corvo


12, Novembro
21h30 -  Quarteto Com.Mozart
Museu das Flores , ilha das Flores

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.