Sindicato de Professores dos Açores convoca greve para dia da prova de conhecimentos

Sindicato de Professores dos Açores convoca greve para dia da prova de conhecimentos

 

Lusa/AO Online   Regional   4 de Dez de 2013, 05:41

A presidente do Sindicato Democrático dos Professores dos Açores, Sofia Ribeiro, anunciou hoje a convocação de uma greve para 18 de dezembro, dia da realização da Prova de Avaliação de Conhecimentos e Capacidades.

"O sindicato decidiu convocar greve ao serviço de aplicação da Prova de Avaliação de Conhecimentos e Capacidades, que decorrerá no próximo dia 18 de dezembro em todas as ilhas dos Açores, permitindo a recusa a todos os docentes que sejam chamados ao serviço de vigilância e de secretariado desse exame, em sinal de protesto", adiantou Sofia Ribeiro, em conferência de imprensa, em Ponta Delgada.

Apesar da dispensa anunciada pelo ministro da Educação e Ciência aos docentes que detenham mais de cinco anos de serviço, o sindicato rejeita "profundamente uma prova que põe em causa critérios de igualdade, de justiça e de respeito pelo trabalho docente".

No seu entender, “a prova de avaliação de conhecimentos e capacidades não encontra fundamento e coloca em causa as habilitações profissionais, a formação contínua e a avaliação do desempenho dos docentes contratados anualmente avaliados com Bom, Muito Bom ou Excelente, pelo que é totalmente injusta e desnecessária", disse a responsável.

Sofia Ribeiro deixou ainda uma mensagem a todos os docentes convocados para prestar serviço inerente à aplicação da prova de conhecimentos e capacidades a 18 de dezembro.

"O sindicato exorta todos os professores e educadores dos Açores que sejam chamados a serviços inerentes à aplicação da prova de conhecimentos e capacidades, para que manifestem a sua recusa, em sinal de respeito e solidariedade para com os colegas contratados, lutando pela dignificação da profissão de toda a classe docente", afirmou.

O Governo da República aprovou em setembro a regulamentação da prova de avaliação de conhecimentos dos professores, estando previsto que um docente que obtenha aprovação só tenha de realizar nova prova se, nos cinco anos subsequentes, lecionar menos de um ano.

A prova é destinada aos professores não integrados na carreira docente, ou seja, aos contratados, terá uma periodicidade anual, e tem como objetivo “aumentar sustentadamente os padrões de qualidade do ensino”, assim como a “equidade entre os candidatos ao exercício de funções docentes”, de acordo com o Ministério da Educação e Ciência.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.