Sindicato dá 15% de adesão à greve na RIAC nos Açores, empresa fala em 5%

Sindicato dá 15% de adesão à greve na RIAC nos Açores, empresa fala em 5%

 

Lusa/AO Online   Regional   22 de Abr de 2019, 15:57

A greve dos trabalhadores da Rede Integrada de Apoio ao Cidadão dos Açores (RIAC) teve esta segunda-feira uma adesão de cerca de 15%, indicou o sindicato do setor, enquanto a empresa contrapõe e diz que foi de 5%.

Em declarações à Lusa, fonte do SINTAP/Açores (Sindicato dos Trabalhadores da Administração Pública e de Entidades com Fins Públicos) disse que entre dez e 15 trabalhadores aderiram ao primeiro de cinco dias de greve.

Orlando Esteves, dirigente do SINTAP, disse que já era expectável que este fosse “um dia fraco, por ser o primeiro”, mas espera uma maior adesão no dia 24 de abril, dia em que os trabalhadores se reúnem junto à vice-presidência.

Segundo o sindicalista, das 54 lojas da rede no arquipélago estarão encerradas três no Pico, uma nas Flores e uma em São Miguel, acrescentando que “algumas lojas estão abertas por causa de trabalhadores de programas ocupacionais”.

Por seu lado, fonte da RIAC diz que o primeiro dia de greve teve uma adesão de 5%, com seis trabalhadores em paralisação, afetando três lojas.

À Lusa, a mesma fonte adiantou que as lojas afetadas ficam em São Miguel (uma) e na ilha do Pico (duas), mas não soube especificar quais.

Recorde-se que a greve foi convocada pela delegação açoriana do SINTAP (Sindicato dos Trabalhadores da Administração Pública e de Entidades com Fins Públicos), que reivindica “o reconhecimento da enorme abrangência, complexidade e responsabilidade das funções” dos trabalhadores da rede.

A paralisação estende-se até sexta-feira, com uma manifestação marcada para quarta-feira de manhã em frente às instalações da vice-presidência do Governo Regional dos Açores, em Ponta Delgada.

Numa nota divulgada na sexta-feira, a entidade patronal fez saber que considera “injusto e discriminatório para os restantes funcionários da administração regional e até local” o pedido de valorização na carreira para os trabalhadores da Rede Integrada de Apoio ao Cidadão.

Acrescenta, ainda, que não existe “especificidade legal nas funções de assistente técnico da RIAC” e, como tal, não são “cumpridos os requisitos legais que permitam criar uma carreira especial nessa área, como, aliás, não existe no resto do país”.

A RIAC conta atualmente com 54 lojas, que permitem fazer documentos de identificação pessoal ou do carro e aceder a serviços da Segurança Social, de saúde ou relacionados com o pagamento de contas de serviços públicos, entre outros.

A primeira loja abriu em 2004.

Atualmente, esta rede conta com cerca de 100 colaboradores.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.