Afeganistão

Sarkozy viaja hoje para Cabul

Sarkozy viaja hoje para Cabul

 

Lusa/AO online   Internacional   19 de Ago de 2008, 11:25

O presidente francês, Nicolas Sarkozy, viaja esta terça-feira à noite para o Afeganistão, onde dez pára-quedistas franceses foram mortos hoje em combates com talibãs, informou a presidência francesa num comunicado.

    O texto, divulgado em Paris, confirma que dez soldados franceses morreram e 21 ficaram feridos nos combates, ocorridos no distrito de Surobi, cerca de 50 quilómetros a leste de Cabul.

    Este foi o incidente que matou mais soldados estrangeiros de uma única nacionalidade nos últimos três anos no Afeganistão. Em 2005, 16 soldados norte-americanos foram mortos na província de Kunar quando o helicóptero em que seguiam foi abatido.

    "A França acaba de ser duramente atingida na luta contra o terrorismo. Ontem (segunda-feira), dez dos nossos soldados integrados no 8/o regimento de pára-quedistas da Marinha, ao 2/o regimento estrangeiro de pára-quedistas e ao regimento de marcha do Chade foram mortos no Afeganistão", lê-se no comunicado.

    "Outros 21 ficaram feridos, durante uma missão de reconhecimento conjunta com o exército nacional afegão", acrescenta.

    O comunicado adianta também que "meios importantes, designadamente aéreos, foram destacados, com o apoio dos aliados, para apoiar e resgatar os homens apanhados numa emboscada de uma violência extrema".

    "Esta missão decorria na região de Cabul, onde as nossas forças estão presentes com os nossos aliados desde 2002", lê-se também.

    Antes do anúncio destas mortes, responsáveis afegãos informaram que militares franceses estavam envolvidos desde segunda-feira em combates naquela zona a leste de Cabul.

    Segundo um responsável local afegão de Surobi, uma patrulha de soldados franceses foi atacada por combatentes talibãs na segunda-feira, dando origem a trocas de tiros que se prolongaram por cerca de três horas.

    A mesma fonte afegã indicou ter informações de que 13 combatentes talibãs tinham sido mortos nesses combates e que os confrontos recomeçaram hoje.

    Um responsável afegão citado pela Associated Press indicou que quatro dos dez soldados mortos foram raptados e depois mortos pelos talibãs.

    As mortes de hoje são as primeiras entre as forças francesas desde o reforço deste contingente, que é actualmente de cerca de 2.600 militares, anunciado pelo presidente Nicolas Sarkozy na Cimeira da NATO de Abril passado em Bucareste.

    Antes disso, um total de 14 militares franceses perdeu a vida no Afeganistão em acidentes, operações de combate ou atentados.

    A França está militarmente presente no Afeganistão desde finais de 2001, integrada na Força Internacional de Assistência à Segurança (ISAF) no Afeganistão, comandada pela NATO.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.