Rovisco Duarte afirma que tudo foi feito para garantir segurança dos paióis do Exército

Rovisco Duarte afirma que tudo foi feito para garantir segurança dos paióis do Exército

 

Lusa/Ao online   Nacional   29 de Set de 2018, 19:42

O Chefe do Estado-Maior do Exército (CEME) disse este sábado, em Tomar, que o investimento que se tem realizado “dá a tranquilidade de tudo” ter sido “feito no âmbito da segurança dos materiais, dos paióis e paiolins”.

Frederico Rovisco Duarte presidiu hoje às comemorações do Dia da Brigada de Reação Rápida, que se realizaram no estádio municipal de Tomar, no distrito de Santarém, numa cerimónia que contou com a presença do presidente da Comissão Parlamentar de Defesa Nacional, Marco António Costa.

Sem qualquer referência ao furto de material militar de paiolins do perímetro militar de Tancos, no verão de 2017, e à operação que levou à detenção, esta semana, de elementos da Polícia Judiciária Militar, incluindo do seu comandante, e da GNR, Rovisco Duarte salientou “o enorme investimento que tem sido realizado nas medidas para a consolidação da segurança militar” em “praticamente todas as unidades” do Exército.

“[Esse investimento] dá-nos a tranquilidade de tudo termos feito no âmbito da segurança dos materiais, dos paióis e paiolins”, declarou.

Elencando as medidas em curso no Exército, nomeadamente em matéria de reequipamento, o CEME apontou a Higiene e Segurança no Trabalho como uma área onde “ainda há aspetos a melhorar”, apesar do trabalho desenvolvido, “prevenindo acidentes”, e reiterou o “cuidado e atenção” que estas matérias merecem aos diferentes níveis de comando.

Marco António Costa, que foi “portador” do voto de congratulação aprovado sexta-feira na Assembleia da República, em reconhecimento do papel das Forças Armadas Portuguesas, fez questão de salientar o respeito e consideração para com os militares portugueses que encontrou junto dos mais altos representantes da República Centro-Africana (RCA) quando visitou a 3.ª Força Nacional Destacada naquele país no âmbito da missão das Nações Unidas.

Para o deputado social-democrata, é “um dever da classe política” estar ao lado das instituições do Estado, “particularmente nos momentos que se possam adivinhar mais difíceis”.

“Num tempo em que a instituição militar, por episódios bastante circunscritos, tem sido muitas das vezes notícia – naturalmente, porque tudo o que acontece com importância na segurança nacional tem que ser atendido, verificado, investigado e, acima de tudo, tomadas medidas para que, no futuro, não se volte a repetir -, é bom que se saiba esta dimensão de respeito e de serviço internacional que a nossa instituição militar presta”, afirmou, acrescentando ainda o papel desempenhado internamente em defesa das populações.

A cerimónia de hoje foi marcada pela receção ao estandarte nacional da 3.ª Força Nacional Destacada, regressada recentemente da RCA, tendo o CEME destacado a “participação brilhante” das unidades de comandos e de paraquedistas num cenário de “elevadas exigências no âmbito da sustentação logística, risco e intensa atividade operacional”, o que “evidencia bem a qualidade da preparação dos militares da Brigada.

“Temos provas dadas e, por isso, podemos afirmar que o soldado português possui características que nos distinguem e nos permitem cumprir as mais difíceis e exigentes missões”, afirmou Rovisco Pais, sublinhando “a credibilidade do sistema de formação e aprontamento do Exército”.

No desfile militar que decorreu no estádio municipal de Tomar, participaram ainda a força do regimento de Comandos que se encontra em preparação para se juntar à missão na RCA e a 2.ª Branch School Advisory Team que seguirá para o Afeganistão, seguindo-se uma demonstração terrestre e aerotransportada e uma visita à exposição de materiais e equipamento.




Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.