Açoriano Oriental
Roteiro das Adegas do Pico vai aproximar turistas ao setor

Criado pela Câmara Municipal da Madalena, o roteiro estende-se a 12 empresas produtoras de vinho e bebidas destiladas no Pico. Restauração local terá formações contextualizadas para dar a conhecer o roteiro e os seus conteúdos aos visitantes


Autor: Rafael Dutra / Paulo Faustino

A Câmara Municipal da Madalena apresentou, na passada quinta-feira, o Roteiro das Adegas do Pico, produto turístico que permitirá uma maior dinamização com os turistas e que englobará um conjunto de informações sobre os processos da própria produção de vinho e até de destilados, das várias empresas produtoras da ilha.

Apesar de ser uma iniciativa do concelho da Madalena, vão estar integradas no projeto 12 empresas de várias zonas da ilha, sendo que o município está aberto à candidatura de mais entidades (ver caixa).

Para o presidente da Câmara Municipal da Madalena, o objetivo do roteiro é “divulgar” os produtos do Pico e “proporcionar a todos os visitantes” várias “experiências vinícolas únicas”.

Disponível online, é um roteiro “dinâmico” porque vai estar em “constante atualização”. Os produtores vão poder, consoante a necessidade, acrescentar informações ao roteiro relativas aos seus produtos, explica José António Soares em declarações ao Açoriano Oriental.

Este é um roteiro que vai também aproximar os visitantes aos produtores, sendo que a degustação de vinhos tem um papel importante neste setor.

“Quem quiser ter a experiência vai contatar diretamente os produtores e ouve toda a história de como é feito o vinho e tem a possibilidade de adquirir os produtos locais, o que é importante para nós e para a ilha do Pico”, afirma José António Soares.

O roteiro estará interligado à área da restauração local, cujos trabalhadores irão receber formação sobre o próprio roteiro e os seus conteúdos, de forma a fomentar a divulgação e a promoção do conhecimento na área, fazendo-o chegar aos turistas e visitantes.


Produtores satisfeitos com o Roteiro das Adegas do Pico


A criação deste roteiro é vista como uma mais-valia pelos produtores vinícolas e também de bebidas destiladas do Pico, como é o caso de César Ferreira, da Adega de Santana.

Em declarações ao Açoriano Oriental, o responsável pela comunicação da Adega de Santana, que produz licores e aguardentes, salienta que o roteiro “veio colmatar uma lacuna que se verificava aqui no Pico, que é a aglutinação desta informação toda num local único, numa plataforma única”.

César Ferreira reforçou ainda que a formação dos funcionários da restauração é algo positivo, “porque havia e há necessidade de os dotar com “mais algum conhecimento relativamente aos nossos produtos”, destaca.

É um projeto que também vai apoiar produtores em escala de menor dimensão, como é o caso da Etnom, de Cátia Laranjo.

Conforme explica a enóloga e produtora de vinho ao Açoriano Oriental, este roteiro vai fornecer um grande apoio no que toca à divulgação e promoção dos seus produtos.

“O roteiro das adegas veiomarcar a presença dos mais pequenos que não estavam na boca de toda a gente”, explica, acrescentando ainda que é algo que vai “dar visão” aos produtores e que oferecerá uma nova forma de chegar aos turistas, nas degustações de vinho.

A produtora, que ainda não tem a sua adega, faz as degustações “mediante marcação, reserva ou em algum evento mais privado. No meu caso ofereço uma experiência às pessoas e era algo que não era divulgado”, sublinha.

Agora, com este roteiro, que também será utilizado pela área da restauração, dando mais visibilidade ao setor, Cátia Laranjo diz que se os turistas quiserem “fazer uma prova mais particular, ou com outros vinhos que tenhamos no nosso portefólio, entram em contacto connosco e vão diretamente ter connosco”.

“O roteiro vem combater essa falta de informação cá relativamente a todos os parceiros de vitícolas que temos na ilha”, finaliza.


Roteiro das Adegas do Pico conta já com a participação de 12 produtores

Apesar de ser uma iniciativa promovida pela Câmara Municipal da Madalena, o Roteiro das Adegas do Pico vai englobar, para já, 12 produtores de toda a ilha do Pico.

Nesta região vitivinícola protegida como património mundial pela UNESCO, estará presente, ao nível do roteiro, a maioria dos produtores certificados do Pico.

Integram o projeto: Azores Wine Company; Insula Atlantis; Adega A Buraca; O Czar; Curral Atlantis; Picowines; Entre Pedras; Adega de Santana; Etnom; Adega Amaral; Adega do Vulcão e A Cerca dos Frades.

Refere-se ainda que esta iniciativa insere-se no âmbito do projeto ECO-TUR2, cofinanciado pelo Programa INTERREG MAC.



PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados