Revista de Imprensa Nacional


 

AO online   Nacional   24 de Out de 2007, 06:27

O caos nos aeroportos devido à greve de pilotos é o tema comum hoje na imprensa de Lisboa, que destaca também a “suspeita” de polícias e militares de que poderão estar a ser alvo de escutas telefónicas ilegais.
O Público chama à primeira página “Militares e PSP acreditam que são alvo de escutas telefónicas ilegais”.

    De acordo com o jornal, dirigentes das associações profissionais afirmam ter “fortes suspeitas de estarem a ser alvo de escutas telefónicas.

    O matutino adianta ainda que o Procurador-Geral da República, Pinto Monteiro, e o ministro da Justiça, Alberto Costa, devem ir ao Parlamento falar sobre escutas telefónicas.

    O destaque fotográfico do Público vai para a greve dos pilotos da aviação civil que começou na terça-feira - e decorrerá também na quinta-feira e no sábado - e que provocou o cancelamento de 100 voos domésticos e internacionais.

    O Público realça uma fotografia que mostra um passageiro encostado a dormir.

    Também o Jornal de Notícias puxa para a capa uma fotografia que mostra uma passageira sentada no carrinho de transporte de bagagem, titulando “Greve lança caos nos aeroportos”.

    Por seu turno, o Diário de Notícias destaca uma foto que mostra dezenas de passageiros numa fila de espera para os balcões de venda de bilhetes da TAP.

    Sobre a paralisação, o DN titula “Greve gera o caos e custa seis milhões à TAP”.

    O Correio da Manhã escreve “Pilotos insistem na greve” enquanto o Diário Económico refere “TAP perde um milhão por dia com a greve”.

    Em manchete, o DN realça que “Farmacêuticos vão ser segunda escolha nas novas farmácias”.

    O matutino adianta que o Ministério da Saúde quer dar preferência aos não farmacêuticos na abertura de novas farmácias.

    Assim, adianta o DN, estes profissionais não só perdem o exclusivo da propriedade como ficam em desvantagem competitiva nos concursos que vão ser lançados.

    “Fisco penhora contas do BCP” e a derrota do Sporting frente ao Roma por 2-1 em jogo da terceira jornada do grupo F da Liga dos Campeões, disputado no Estádio Olímpico de Roma, em Itália, são outros temas em destaque no DN.

    O Jornal de Notícias avança na primeira página “Novo exame obrigatório para os alunos faltosos”.

    O estatuto dos estudantes do Básico e do Secundário aperta regime de faltas, escreve o JN, salientando ainda que os encarregados de educação vão ser avisados logo à primeira ausência injustificada.

    “Só uma pública entre as dez melhores escolas” é outro título de destaque do JN que elaborou um “ranking” com base nas classificações obtidas nos exames nacionais dos 11º e 12º anos.

    O Colégio Mira Rio, de Lisboa, ocupa o primeiro lugar no ranking de escolas secundárias, no qual só consta uma pública, a Secundária Infanta D. Maria, de Coimbra.

    “383 políticos com reforma vitalícia” é a manchete do Correio da Manhã, salientando que a previsão orçamental para 2008 aponta para crescimento da despesa com subvenções em 5,4 por cento face a 2007.

    “Caso Maddie: judiciária espera resultados das análises”, “Só três escolas públicas nas 20 melhores do País” e “Erros fatais na defesa”, referindo-se à derrota do Sporting frente ao AS Roma, são outras chamadas de capa do CM.

    O 24horas chama à primeira página “As 14 questões com que a PJ vai apertar os McCann em Inglaterra”.

    O diário avança que três polícias portugueses vão a Leicester ouvir os pais de Maddie e os amigos.

    “Sporting assustou a Roma mas foi traído por Abel”, “Provas do processo `Envelope 9´ agiram julgamento Casa Pia” e “A melhor escola pública é de Coimbra e só aparece em 10º lugar” são outros temas abordados no 24horas.

    O Diário Económico noticia “Sonangol quer mais poder no BCP”, salientando que a petrolífera angolana quer cumprir o acordo feito com Teixeira Pinto, mas há quem defenda uma posição mais musculada.

    O económico realça ainda “Subsídio de desemprego recusado a 20 mil pessoas”, “Autódromo do Estoril vendido por concurso público” e “Sociedade Júdice enfrenta saída de advogados”.

    O Jornal de Negócios destaca na sua edição de hoje uma entrevista ao secretário de Estado Adjunto da Administração Interna, Eduardo Cabrita, na qual adianta que “Autarquias podem cobrar impostos a partir de 2008”.

    “Supervisão investiga histórico de créditos do BCP a accionistas”, “EDP paga 390 milhões pela subconcessão da barragem” do Alqueva” e “Novas regras de aposentação e salários em cima da mesa” são outros títulos do JdN.

    A revista Focus destaca na capa “8 sucessos”, uma reportagem sobre sucesso de portugueses como a judoca Telma Monteiro, a actriz Margarida Vila-Nova, o político Pedro Nuno Santos ou o economista António Câmara.

    A Focus realça também o regresso à política de Pedro Santana Lopes e recorda o que o antigo primeiro-ministro fez nos últimos três anos.

    Apesar da derrota do Sporting frente à Roma, 2-1, num encontro realizado terça-feira, e da deslocação do campeão FC Porto ao terreno do Olympique de Marselha, também agendada para hoje, são os “encarnados” que centram as atenções dos jornais desportivos.

    A Bola considera “Decisivo!” o encontro entre Benfica e Celtic de Glasgow, da terceira jornada da Liga dos Campeões em futebol, que se realiza hoje a partir das 19:45 no Estádio da Luz, em Lisboa.

    O mesmo jornal indica que “Encarnados só podem pensar em vencer” e sublinha que “Camacho diz que há tempo para recuperar, mas outro resultado que não a vitória significa na prática a eliminação”.

    “Não há duas sem mais três”, é a manchete do Record, segundo o qual o “Celtic é bom cliente na Luz”, onde já perdeu por duas vezes pelo mesmo resultado 3-0.

    Por seu lado, O Jogo escolheu para manchete uma constatação do treinador do Benfica, José António Camacho, “Também temos altos e fortes”.

   
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.