Revista de imprensa nacional


 

Lusa/AO   Nacional   3 de Set de 2008, 06:33

O assassínio do presidente do grupo "Os Mosqueteiros", a decisão favorável a Paulo Pedroso na acção contra Estado por prisão preventiva ilegal e a violência doméstica estão hoje em destaque na imprensa de Lisboa.
O Diário de Notícias revela na primeira página “Suspeita de ajuste de contas na morte de empresário”.

    O presidente, em Portugal, do grupo "Os Mosqueteiros" foi encontrado morto terça-feira no seu apartamento em Leiria.

    O matutino avança que António Figueira terá sido morto por um sócio francês.

    “Polémica abala Convenção Republicana” é outro título do DN, referindo-se à controvérsia que envolve Sarah Palin, candidata a vice-presidente dos EUA, que entre outras coisas, terá defendido em tempos a independência do Alasca.

    “Prisão de Paulo Pedroso obriga Estado a pagar maior indemnização de sempre” é a manchete do Público.

    O ex-dirigente socialista Paulo Pedroso ganhou a acção interposta contra o Estado por prisão preventiva ilegal no processo da Casa Pia, tendo pedido uma indemnização de 600 mil euros por ter estado preso preventivamente cerca de cinco meses.

    Agora, o tribunal considerou que a detenção de Paulo Pedroso foi um "erro grosseiro" e condenou o Estado ao pagamento de mais de 100 mil euros de indemnização.

    O matutino destaca ainda um novo estudo sueco que indica que a “instabilidade amorosa dos homens é genética”.

    O 24horas destaca na primeira página “Toda a sentença do caso Pedroso”, contando que o político que foi preso e suspeito no processo Casa Pia ganha indemnização de 130 mil euros.

    O diário puxa também para a capa “Presidente do Intermarché assassinado”, referindo que um antigo sócio é o principal suspeito do crime.

    O Jornal de Notícias adianta que “Violência doméstica matou 35 mulheres em oito meses”, citando dados do Observatório de Mulheres Assassinadas (OMA), um departamento da União de Mulheres Alternativas e Resposta (UMAR).

    O jornal escreve que o número de mulheres assassinadas já supera registos de todo o ano passado.

    Na capa, o JN realça também que Carlos Queiroz quer duas vitórias da selecção portuguesa de futebol frente a Malta e Dinamarca.

    “’Erro grosseiro’ na detenção de Paulo Pedroso vale 131 mil euros” e “Presidente do grupo ‘Os Mosqueteiros’ morto a tiro em casa” são outros temas em destaque no JN.

    O Correio da Manhã chama à primeira página “Função pública perde 11 por cento do salário”, referindo que poder de compra caiu nos últimos oito anos.

    “Cavaco critica Rússia na visita à Polónia”, “Francês mata patrão do Intermarché” e “Irmão de sequestrador do BES apanhado com 300 mil euros em droga” são outras chamadas de capa do CM.

    O Diário Económico destaca “Economistas contra subida dos salários”, numa reacção ao pedido da CGTP de pedir aumentos salariais de cinco por cento para o próximo ano.

    Para os economistas não há margem para isso por causa da competitividade da economia e da inflação, acrescenta o DE.

    O económico faz ainda chamada de capa com os títulos “Caixa quer que Zon estude fusão com a Sonae”, “preço do petróleo deve cair para menos de 100 dólares” e “Governo acusado de proteccionismo nos medicamentos”.

    O Jornal de Negócios destaca “Mota-Engil concorrerá à privatização da ANA ‘seja qual for o modelo’”, uma afirmação do presidente da empresa, António Mota.

    António Mota disse também ao jornal que está interessado tanto no aeroporto de Alcochete como no do Porto.

    A crise na construção é outro tema abordado no JdN, adiantando que “Espanha e Leste ameaçam empresas nacionais”.

    A revista Focus faz hoje manchete com o caso Madeleine McCann, titulando “Culpados”.

    A Focus destaca uma sondagem internacional que indica que Portugal e Inglaterra consideram Kate e Gerry McCann responsáveis pelo desaparecimento da filha a 03 de Maio de 2007 no Algarve.

    A cotovelada de Luisão (Benfica) a Sapunaru (FC Porto) no jogo de sábado, que pode afastar o central brasileiro do jogo com o Sporting, e a confiança de Di Maria (Benfica) na conquista do título de campeão estão hoje em destaque na imprensa desportiva.

    “Cotovelada tira Luisão do dérbi”, anuncia em manchete O Jogo, referindo que a “Liga aplica sumaríssimo a lance com Sapunaru”.

    O jornal adianta que o Benfica vai recorrer do castigo de dois jogos de suspensão, que a agressão do adepto benfiquista a árbitro assistente do Benfica-FC Porto vai custar 1.500 euros aos “encarnados” e refere que os portistas denunciaram ida do presidente benfiquista ao balneário no final do encontro, apesar de estar suspenso.

    O matutino desportivo publica ainda uma entrevista com José Mourinho, na qual o treinador do Inter diz que “Pelé tem um grande futuro no FC Porto” e que “Quaresma mete medo”.

    “Cotovelo castiga Luisão” é a manchete do Record, anunciando que o central benfiquista vai falhar os jogos com o Paços de Ferreira e com o Sporting.

    O jornal indica que “sumaríssimo da Liga dá punição de 2 jogos”, castigo de que o Benfica vai recorrer, e anuncia que o espanhol Pablo Aimar vai ser reavaliado dentro de duas semanas para verificar a gravidade da lesão.

    O Record diz ainda que Hélder “Postiga oferece golo” da vitória sobre o Braga ao seu pai, a aquém tinha prometido marcar um tento no dia do seu aniversário.

    Mesmo depois de apenas ter conseguido empatar com o FC Porto (1-1) o argentino Di Maria, do Benfica, anuncia hoje em A Bola a confiança na vitória final: “podemos roubar a Liga ao FC Porto”.

    O assunto, que merece manchete no matutino, é acompanhado pos referências elogiosas dos seus colegas na selecção argentina que ganhou a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Pequim.

    O matutino destaca ainda a “cotovelada fatal” de Luisão ao lateral portista Sapunaru, que vai valer ao central benfiquista uma suspensão por dois jogos, proposta pela Comissão de Disciplina da Liga, num processo sumaríssimo, que impede o brasileiro de jogar contra o Sporting.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.