Presidência Portuguesa da União Europeia

Reunião do Funchal ajusta estratégia de desenvolvimento

Reunião do Funchal ajusta estratégia de desenvolvimento

 

Lusa / AO online   Internacional   21 de Set de 2007, 12:04

O secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação disse, hoje, ser altura de rever metodologias e caminhos com vista ao cumprimento dos objectivos do milénio na área do desenvolvimento.

João Gomes Cravinho falava aos jornalistas antes da abertura do Conselho Ministerial Informal do Desenvolvimento dos 27 Estados-membros da União Europeia, a que preside e cujos trabalhos decorrem no Funchal até sábado.

"Nós estamos a meio caminho entre 2000, quando se estabeleceram estes objectivos, e 2015 que é a meta para se atingir os diversos indicadores que foram identificados. Compete-nos saber ajustar os nossos procedimentos para não defraudarmos as grandes expectativas que existem", disse.

Cravinho considerou ainda que a agenda de trabalhos "toca nos principais pontos da cooperação, desenvolvimento, segurança e ajuda humanitária", e acrescentou: "neste momento o debate vai ser vital".

"A minha esperança é que na área da cooperação para o desenvolvimento, a Madeira vai ficar na história, fruto deste conselho informal", manifestou.

Referiu também que a Presidência portuguesa "tem esperanças de, em Novembro, conseguir aprovar conclusões que alterem os procedimentos da União Europeia em matéria de Estados frágeis, segurança e desenvolvimento e ajuda humanitária".

Revelou igualmente que a próxima meta para a União Europeia é, em 2010, atingir os 0,51 por cento do PIB "como ajuda pública ao desenvolvimento".

João Gomes Cravinho apontou que as finanças públicas portuguesas "estão no bom caminho, há uma oportunidade de atender a outros compromissos tais como a ajuda ao desenvolvimento".

Anunciou que no Conselho Formal para o Desenvolvimento, agendado para Novembro, "pela primeira vez, parte dos trabalhos decorrerão em comum com os ministros da Defesa, uma área onde ainda há muito trabalho por fazer".

O secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação escusou-se a comentar a posição do primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, de que não participará na cimeira UE/África, em Lisboa, ao lado do Presidente Robert Mugabe, do Zimbabué, referindo que a "substância do encontro" será abordada na reunião do Funchal.

"Estamos a desenvolver com a União Africana uma plataforma de diálogo inteiramente nova, baseada em quatro pilares: a boa governação, democracia e direitos humanos; integração regional e comércio; apoio ao desenvolvimento e paz e estabilidade no continente africano", declarou.

Os trabalhos do Conselho Ministerial Informal do Desenvolvimento dos 27 Estados-membros da União Europeia (EU) iniciaram-se, hoje, (09:30 horas) no Funchal (Madeira), com uma sessão de boas vindas pelo secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação, João Gomes Cravinho.

Para além dos ministros dos 27, estarão presentes na cimeira o alto-comissário das Nações Unidas para os Refugiados, António Guterres, o enviado especial das Nações Unidas para a Erradicação da Tuberculose, Jorge Sampaio, o director do Projecto Milénio das Nações Unidas, Jeffrey Sachs, e o ministro da Defesa Nacional, Nuno Severiano Teixeira.

Participam ainda o presidente da Comissão de Desenvolvimento do Parlamento Europeu, Josep Borrell, os comissários europeus Louis Michel (Desenvolvimento) e Peter Mandelsson (Comércio) e, ainda, Paul Culley (do Secretariado Geral do Conselho), Glenys Kinnock (co-Presidente da Assembleia Parlamentar Paritária ACP-EU) e Thierry Cornillet (relator do Consenso de Ajuda Humanitária do Parlamento Europeu).

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.