Representantes políticos do Massachusetts garantem empenho na defesa da Base das Lajes

Representantes políticos do Massachusetts garantem empenho na defesa da Base das Lajes

 

Lusa / AO online   Regional   24 de Nov de 2013, 11:26

Representantes políticos do estado norte-americano do Massachusetts garantiram hoje estar a fazer tudo para influenciar o Senado e o Governo dos EUA a reavaliarem a questão das Lajes, sublinhando que os resultados podem demorar meses.

 

Uma comitiva de cerca de 30 representantes políticos do estado do Massachusetts, onde existe uma importante comunidade açoriana,, começou hoje uma visita de quatro dias aos Açores que integra uma passagem pela ilha Terceira, onde visitarão a base das Lajes e se reunirão com autoridades locais.

Em declarações aos jornalistas em Ponta Delgada, Marc Pacheco e Tony Cabral, que integram, respetivamente, o Senado e a Câmara dos Representantes do estado do Massachusetts e fazem parte do Portuguese American Legislative Caucus, asseguraram que estão a trabalhar no sentido de influenciar as autoridades federais (nacionais) norte-americanas em relação às Lajes.

Depois de terem conseguido bons resultados a nível da Câmara dos Representantes do Congresso dos EUA, centram agora o lóbi no Senado federal, que vai retomar o debate do orçamento do Departamento da Defesa para 2014 no início de dezembro.

O texto que saiu do Congresso tinha uma cláusula que proibia a utilização de verbas deste orçamento para fazer alterações nas Lajes, evitando, pelo menos no próximo ano, a diminuição do contingente que está na Terceira. O objetivo imediato, segundo disse Tony Cabral, é que uma cláusula semelhante seja introduzida e aprovada no Senado.

"Atualmente, o que estamos a tentar fazer, em conjunto com o Governo Regional dos Açores e com os nossos representantes federais, é adiar a decisão", disse, acrescentando que se isso acontecer, se conseguirá abrir uma nova fase de debate da questão das Lajes em Washington.

Isto porque nos primeiros meses de 2014 será debatida a legislação com as opções políticas para a Defesa nos EUA e, especificamente, a redução das bases militares na Europa, que tem também uma referência às Lajes.

"É um processo complexo, que não vai ser definido amanhã ou depois de amanhã ou na próxima semana", disse Tony Cabral, à margem de um encontro com o presidente do Governo dos Açores, Vasco Cordeiro.

Marc Pacheco acrescentou que o objetivo da comitiva que está nos Açores é também avaliar de perto o impacto que a redução de militares terá na Terceira.

"Estamos a lutar por uma melhor cooperação económica", afirmou.

Marc Pacheco disse ainda que os representantes políticos do Massachusetts têm também feito contactos e dirigido cartas a responsáveis do Governo norte-americano, incluindo o Departamento de Defesa e o próprio presidente Obama.

O presidente do Governo dos Açores, por seu turno, reiterou que o "fundamental é haja um sinal político da parte do Senado dos EUA no sentido de orientar o departamento da Defesa para reavaliar esta questão das Lajes", podendo esse sinal integrar qualquer uma das leis em debate nos próximos meses.

Vasco Cordeiro insistiu em que a decisão anunciada pelos EUA não tem em conta "a componente fundamental do relacionamento diplomático entre Portugal e os EUA", sendo inaceitável que os norte-americanos tenham usado a base durante décadas e que tomem agora esta decisão desta forma "não curando do impacto que ela tem na ilha".

Por outro lado, repetiu que gostaria que o empenho da República nesta questão, de que disse não duvidar, fosse mais “visível”.

Os Açores e o estado do Massachusetts têm um acordo de geminação, servindo a visita que hoje começou também para avaliar e intensificar formas de cooperação a nível do turismo e das universidades das duas regiões, por exemplo, segundo Vasco Cordeiro.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.