Conflito

Reaberta ponte iraquiana onde morreram cerca de 1000 pessoas


 

Lusa/AOonline   Internacional   11 de Nov de 2008, 11:33

A ponte Al-Aimah, em Bagdad, que separa bairros sunitas e xiitas e sobre a qual um movimento de pânico fez cerca de 1.000 mortos em 2005, foi hoje reaberta pelo exército iraquiano.
Num ambiente calmo, dezenas de pessoas vindas dos dois bairros assistiram à cerimónia oficial de reabertura da ponte emblemática sobre o Rio Tigre.

    A 31 de Agosto de 2005, 965 peregrinos xiitas morreram esmagados, espezinhados e afogados, e 465 ficaram feridos em resultado de uma debandada na ponte de Al-Aimah, que dá acesso ao mausoléu de Kazimiyah.

    Foi o "inferno total", nas palavras de quem presenciou a catástrofe.

    Milhares de peregrinos xiitas apinhavam a ponte de Al-Aimah, quando soou o falso alarme de que entre eles se encontrava um terrorista com explosivos à cintura, provocando o pânico, com pessoas a correr de um lado para o outro, à toa, a lançarem-se para o Rio Tigre, impotentes perante a multidão que espezinhava quem encontrasse no caminho.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.