Taça UEFA

Quinteto português define com quantas cordas se toca a fase de grupos

Quinteto português define com quantas cordas se toca a fase de grupos

 

Lusa/AO online   Futebol   30 de Set de 2008, 16:31

Cinco clubes portugueses jogam quinta-feira o "tudo ou nada" na qualificação para a fase de grupos da Taça UEFA em futebol, numa missão que parece praticamente impossível para, pelo menos, Marítimo e Vitória de Guimarães
 Do quinteto de concorrentes portugueses, apenas o Sporting de Braga deve cumprir uma "formalidade" na segunda mão, já que a goleada por 4-0 alcançada há duas semanas, no primeiro jogo, oferece aos minhotos uma viagem quase "turística" à Eslováquia.
A nível interno, os bracarenses não estão ao nível das expectativas e já levam três jogos consecutivos sem vencer (duas derrotas e um empate), mas o Artmedia não está melhor e segue no penúltimo lugar do campeonato eslovaco.
Fora o Sporting de Braga, os restantes quatro representantes portugueses vivem uma verdadeira incógnita relativamente à campanha europeia, embora o Benfica seja o clube, dos quatro que restam, com mais possibilidades para conseguir superar os italianos do Nápoles.
A primeira mão ficou marcada pela derrota por 3-2, mas os dois golos marcados em solo italiano podem fazer a diferença no computo geral da eliminatória, embora os "encarnados" estejam obrigados a fazer alguns reajustes na linha mais avançada.
Moralizado com a vitória de sábado sobre o Sporting (2-0), o Benfica volta a jogar na Luz diante o Nápoles desfalcado de Óscar Cardozo (castigado), David Suazo, Pablo Aimar (ambos lesionados) e Makukula (não foi inscrito).
Com obrigação de vencer, o técnico espanhol Quique Flores vai ter de encontrar soluções para "remendar" a fragilizada "artilharia" do Benfica, que defronta uma equipa em alta e que segue num surpreendente segundo lugar no campeonato italiano, ao cabo de cinco jornadas, a apenas um ponto da líder Lázio de Roma.
Não fosse o golo sofrido já nos instantes finais do primeiro jogo, o Vitória de Setúbal viajaria agora para a Holanda com outros trunfos diante o Heerenveen, clube que recebe os portugueses depois do moralizador empate a uma bola em Alvalade (estádio emprestado aos sadinos).
Neste fim-de-semana, o Vitória de Setúbal bateu o Rio Ave (1-0) no último teste antes da Holanda, enquanto o Heerenveen foi perder ao terreno do NAC Breda, por 4-2, derrota que o relegou do primeiro para o sétimo posto do campeonato holandês.
Vitória de Guimarães e Marítimo, que acabaram de alcançar duas vitórias no campeonato (os madeirenses ganharem mesmo pela primeira vez), têm as missões mais ingratas no jogo decisivo desta eliminatória.
Os vimaranenses, que estiveram muito perto de se qualificar para a Liga dos Campeões, estão agora próximos de se despedirem precocemente das competições europeias. 
Para o evitar, terão que inverter em casa a derrota sofrida por 2-0 na visita aos ingleses do Portsmouth, clube que ganhou este fim-de-semana ao Tottenham, também por 2-0, no "ensaio geral" para Guimarães.
O Marítimo, que ganhou finalmente, à quarta tentativa, o primeiro jogo para o campeonato (vitória em casa sobre a Académica, por 2-0), terá, entre todos, o desafio mais complicado, pois está obrigado a "virar" em Valência a derrota sofrida no Funchal por 1-0.
A equipa "che" continua em alta no campeonato interno, que lidera a par do Villarreal, fechando a quinta jornada com um triunfo claro em casa sobre o Deportivo da Corunha, por 4-2. 

Programa dos portugueses na segunda mão da primeira eliminatória (horas de Lisboa):
Heerenveen (Hol) - VITÓRIA SETÚBAL , 19:00 (1-1 na primeira mão).
Artmedia (Svq) - SPORTING BRAGA, 19:15 (0-4).
BENFICA - Nápoles (Ita), 20:15 (2-3).
Valência (Esp) - MARÍTIMO, 21:00 (1-0).
VITÓRIA GUIMARÃES - Portsmouth (Ing), 21:35 (0-2).

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.