Mobilidade

Quercus distribui mini-livros para incentivar uso dos transportes públicos


 

Lusa/AO online   Nacional   22 de Set de 2011, 12:22

A Quercus vai distribuir hoje 80 mil mini- livros em Lisboa e no Porto para incentivar o uso dos transportes públicos através do lazer, defendendo que a viagem em transportes públicos pode ser aproveitada para a leitura.
Para assinalar o Dia Europeu Sem Carros, a associação ambiental vai oferecer hoje 40 mil pequenos exemplares de obras literárias a quem passar pelo Cais do Sodré, nos Restauradores e em Sete Rios - em Lisboa -, procurando "incentivar o uso de transportes públicos pelo lazer", disse a ambientalista Sara Campos.

"Além das vantagens ambientais, já que sabemos que o uso do transporte individual é o grande culpado da poluição em Lisboa, e das económicas, não podemos esquecer o aumento do preço do combustível e do estacionamento na cidade, andar de transportes públicos permite ao utente aproveitar o tempo para ler", explicou a representante da Quercus.

No Cais do Sodré, Sara Campos e mais dois colaboradores da Quercus distribuíram hoje de manhã mini livros de obras como "A Mentira Sagrada", de Luís Miguel Rocha, "O Centenário que Fugiu pela Janela e Desapareceu", de Jonas Jonasson, e "Amor e Chocolate", de Dorothy Koomson.

"A ideia inicial era mesmo oferecer livros de bolso, mas assim oferecemos os dois primeiros capítulos de oito obras. Se as pessoas gostarem das obras podem comprar e depois até vir a ler no comboio, no metro ou até no autocarro", referiu.

Para a ambientalista, esta iniciativa "acaba por ter um duplo incentivo: à leitura e à mobilidade sustentável".

No entanto, Sara Campos salientou que "alguns dos utentes já aproveitam o tempo nos transportes para ler, principalmente o jornal" e que, mesmo "durante a manhã de hoje, alguns utentes pediram os livros, outros estavam curiosos, outros quiseram levar a colecção toda".

Sob o mote "Para um melhor ambiente, conduza menos, leia mais", esta campanha da Quercus e da FNAC decorre também no Porto, em Campanhã, no Hospital de São João e na Praça da Liberdade.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.