Quase 70 por cento de universitários pretende emigrar

Quase 70 por cento de universitários pretende emigrar

 

Lusa/AO Online   Nacional   14 de Ago de 2012, 07:22

Sessenta e nove por cento dos estudantes universitários tem intenções de emigrar, após a conclusão dos estudos, indicam os resultados de um inquérito nacional, realizado pelas associações académicas e de estudantes universitários, a apresentar hoje no Porto.

As “alterações socioeconómicas resultantes da crise financeira” e do “ajustamento orçamental”, em Portugal, são as principais razões apontadas pelos universitários inquiridos para a saída do país, segundo os resultados preliminares do inquérito relativo à “Mobilidade Profissional e à Internacionalização do Emprego Jovem”, que a Federação Académica do Porto (FAP) vai apresentar hoje de manhã.

“Os dados recolhidos relevam uma percentagem preocupante - cerca de 69 por cento - de estudantes com intenções de emigrar, após concluírem os seus ciclos de estudos, essencialmente em busca de melhores condições laborais”, indicam os resultados do inquérito.

As conclusões apontam ainda para a Europa como “destino preferencial” dos jovens qualificados com intenções de emigrar.

A maior parte dos inquiridos considerou ainda que “não existem mecanismos informativos sobre os diversos países europeus” e que isso se traduz numa “barreira” à internacionalização do emprego.

O “elevado número de desistências do programa de mobilidade europeu Erasmus” é outra tendência adiantada pela FAP.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.