Madeira

PSD-M não recua na suspensão do mandato do deputado do PND-M


 

Lusa/AOonline   Nacional   6 de Nov de 2008, 14:49

O presidente da Comissão de Regimentos e Mandatos da Assembleia Legislativa da Madeira, o social-democrata Tranquada Gomes, garantiu que o PSD-M não recuará na decisão de suspender o mandato do deputado do PND-M, José Manuel Coelho.
Pelo contrário, a oposição madeirense, apesar de condenar a atitude de José Manuel Coelho, reprova a decisão do PSD, com vários partidos a apelarem à intervenção do Presidente da República.

    A polémica surgiu quando o deputado do PND-M, José Manuel Coelho, exibiu quarta-feira na Assembleia Legislativa uma bandeira nazi em protesto contra o "regime ditatorial" na Região Autónoma da Madeira.

    Na sequência desta acção política, realizada na tribuna do parlamento madeirense, os deputados do PSD-M aprovaram um requerimento pedindo a suspensão do mandato do deputado.

    O deputado realçou ser esta "uma situação excepcional", justificando a posição assumida pelo PSD-M com "base na violação dos princípios parlamentares e dos deveres dos deputados".

    O líder do Grupo Parlamentar do PS-M, Victor Freitas, lamentou a atitude assumida pelo deputado do PND-M mas condenou o requerimento aprovado pelo PSD-M de suspender o mandato de José Manuel Coelho, apelando à magistratura de influência do Presidente da República.

    Para este deputado socialista, o PSD-M, com esta celeuma, tem a oportunidade de fazer a reforma do Regimento da Assembleia de modo a dignificar a instituição.

    Quanto ao presidente do CDS/PP-M, José Manuel Rodrigues, condenou tanto a iniciativa do deputado do PND-M como o requerimento do PSD-M, sustentando que "contra uma ilegalidade actua-se com a legalidade e não com uma ilegalidade".

    Por seu turno, o deputado do PCP-M, Edgar Silva, lembrou o provérbio popular "quem semeia ventos, colhe tempestades" e responsabilizou os dirigentes do PSD-M de estarem a proporcionar um clima de hostilidade na vida política regional.

    "Banalizou-se a prática antidemocrática, o discurso insuflado pelo cheiro a pólvora, o terrorismo da palavra, os ataques a pessoas e instituições", disse.

    O deputado do MPT-M, José Isidoro, apesar de afirmar que as acções do deputado do PND-M devem ter um fim porque "não se pode bloquear uma instituição vocacionada para fazer legislação e para resolver os problemas das pessoas e da Madeira" condenou, no entanto, a solução encontrada pelo PSD-M, ao aprovar um requerimento ditando a suspensão do mandato do deputado.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.