PSD/Açores questiona Governo Regional sobre atraso de unidade de radioterapia na Terceira

PSD/Açores questiona Governo Regional sobre atraso de unidade de radioterapia na Terceira

 

Lusa/AO Online   Regional   19 de Out de 2018, 12:22

Os deputados do PSD/Açores questionaram o Governo Regional sobre o atraso na abertura da unidade de radioterapia do Hospital de Santo Espírito da Ilha Terceira (HSEIT), prevista para 2016.

"A verdade é que os terceirenses aguardam desde 2016 pelo início dos tratamentos de radioterapia na sua ilha", frisou Mónica Seidi, vice-presidente da bancada parlamentar social-democrata no parlamento açoriano, citada num comunicado de imprensa, acrescentando que as declarações do secretário regional da Saúde sobre este assunto “não são concisas, nem tão pouco esclarecedoras”.

O hospital, inaugurado em 2012, foi construído com um ‘bunker’ para a implementação de um serviço de radioterapia e tem equipamentos instalados há dois anos, mas a unidade ainda não entrou em funcionamento.

"Este é um exemplo claro de má gestão e de más decisões, assentes em critérios mal explicados, por parte do governo socialista", acusou a deputada social-democrata, alegando que, numa audição recente no parlamento açoriano, a nova presidente do conselho de administração do HSEIT “afirmou claramente que este era um problema do foro político”.

Num requerimento que entregaram na Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores, os deputados social-democratas perguntam ao executivo açoriano se têm fundamento as notícias que dão conta da “dispensa dos técnicos da especialidade” afetos ao Hospital da Ilha Terceira, no passado mês de setembro, da “falta de manutenção do equipamento de radioterapia” e do cancelamento da “garantia do acelerador”.

Para Mónica Seidi, o Governo Regional “tem de se pronunciar, considerando que a radioterapia na Terceira é uma promessa anunciada há várias legislaturas, e que continua por cumprir”.

Os deputados do PSD solicitaram ainda informações "sobre alguma notificação prévia da empresa Joaquim Chaves, concessionária do centro de radioterapia no HSEIT, relativamente a todo este processo”, bem como a cópia do contrato celebrado entre o hospital e a empresa.

Questionado pela Lusa, o secretário regional da Saúde rejeitou prestar declarações sobre o assunto.

A única clínica de radio-oncologia dos Açores, da empresa Joaquim Chaves Saúde, está a funcionar desde março de 2016, em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel.

O anterior secretário regional da Saúde, Luís Cabral, anunciou que o Hospital da Ilha Terceira teria também uma unidade de radioterapia, gerida pela mesma empresa, a funcionar em 2016.

Em fevereiro de 2017, o atual secretário regional da Saúde, Rui Luís, disse que o licenciamento da unidade deveria estar concluído no espaço de um mês.

Em junho deste ano, o governante justificou os atrasos com falta de casuística para os tratamentos e falta de radio-oncologistas.

"Ao nível do hospital, as obras que eram necessárias fazer foram feitas. O Governo Regional cofinanciou o investimento da empresa e portanto agora trata-se de toda a outra componente que tem a ver com a própria empresa, que é a contratação de recursos humanos, que nós também sabemos que nesta área é difícil, porque não há especialistas suficientes no país e, por outro lado, tem a ver com a questão da casuística", apontou, na altura, Rui Luís.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.