OE2012

PS insiste que Governo tem margem para poupar aos cortes de um dos dois subsídios

PS insiste que Governo tem margem para poupar aos cortes de um dos dois subsídios

 

Lusa/AO online   Nacional   14 de Nov de 2011, 17:34

  O Secretariado Nacional do PS insistiu que o Governo tem uma margem orçamental na ordem dos 900 milhões de euros para poupar dos cortes um dos dois subsídios dos trabalhadores da administração pública e dos pensionistas.
Na primeira reunião após a aprovação na generalidade do Orçamento do Estado para 2012, a direcção dos socialistas reiterou todos os seus objectivos em relação a mudanças a introduzir na proposta orçamental.

"O PS acredita que o Governo está a exigir um ajustamento acima do necessário seguramente em mais de 900 milhões de euros pelo que a margem prevista no Orçamento é quase equivalente à receita líquida resultante dos cortes nos subsídios de férias e de Natal aplicados ao sector público. Segundo as estimativas efectuadas com base nos dados disponibilizados pelo Governo, dos 3,4 mil milhões de euros de alegado desvio nas contas deste ano, mil milhões são irrepetíveis em 2012, porque se referem aos buracos da Madeira e do Banco Português de Negócios (BPN)", defende a direcção dos socialistas.

Ainda de acordo com o Secretariado Nacional do PS, "dos 2,4 mil milhões de euros restantes, (…) o Governo não deu qualquer justificação objectiva para uma estimativa de aumento de despesas com pessoal na ordem dos 270 milhões de euros e de consumos intermédios de 395 milhões de euros, quando se admite que esses valores não vão além dos 100 milhões de euros e 226 milhões de euros, respectivamente".

"Quanto às comissões da troika, o Governo optou por considerar no orçamento o valor a desembolsar em 2011 quando se sabe que em 2012 será inferior em 124 milhões de euros", sustenta ainda a direcção do PS.

Na mesma linha, o PS acusa o Governo de, tal como aconteceu este ano, não fazer qualquer esforço para obter receitas com concessões (jogo ou eólicas), deixando por executar cerca de 318 milhões de euros.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.