Açoriano Oriental
PS/Açores acusa PSD de ignorar trajetória de “crescimento económico” da região

O deputado do PS/Açores Carlos Silva acusou o PSD da região de ignorar o "crescimento económico" dos Açores, após os sociais-democratas terem afirmado que o arquipélago não consegue "convergir" com a União Europeia e o país.

article.title

Foto: PS/A
Autor: Lusa/AO Online

"A análise parcial que o PSD faz do estado da nossa região ignora a trajetória de crescimento económico e de desenvolvimento sustentável que temos alcançado nos últimos anos. Mais grave ainda, na ânsia de atacar o Governo [Regional], o PSD desvaloriza e desrespeita todo o empenho e conquistas que os açorianos e os nossos empresários alcançaram", afirma Carlos Silva, citado em comunicado de imprensa.

O deputado do PS, partido que suporta o Governo dos Açores na Assembleia Legislativa Regional, destaca que "os Açores foram a única região do país que convergiu com a média nacional".

"Em primeiro lugar, os Açores foram a única região do país que convergiu com a média nacional. Essa convergência não foi pontual, foi entre 2000 e 2017, ou seja, de uma forma sustentada, como reconhece a própria Agência Para o Desenvolvimento e Coesão", assinala, referindo que o Produto Interno Bruto (PIB) açoriano é o "mais elevado da história" da região.

Carlos Silva considerou ainda que o governo socialista, liderado por Vasco Cordeiro, conseguiu "atingir o número mais elevado de pessoas com emprego nos Açores".

"Conseguimos atingir o número mais elevado de pessoas com emprego nos Açores. No final do trimestre passado, mais de 116 mil açorianos estavam empregados e, simultaneamente, aumenta a população ativa e diminui o número de pessoas em programas ocupacionais", lê-se no comunicado.

Na nota, o deputado do PS "lamenta que o PSD/Açores ignore que foi com os governos do PS que se reduziram os impostos sobre o trabalho e se reduziram as taxas de IRS" e que se aumentaram "salários e apoios sociais".

Segundo os socialistas, estas medidas aumentaram em 54% nos últimos 17 anos o rendimento disponível das famílias, valor "superior à média nacional".

Esta manhã, o porta-voz do PSD/Açores para as finanças, António Vasco Viveiros, afirmou que a convergência da região falhou quanto "ao objetivo do quadro comunitário de apoio 2014-2020", destacando que, apesar do "aumento das receitas fiscais, o Governo Regional não promoveu a reposição do diferencial fiscal em sede de IVA e IRS" (impostos sobre o consumo e o rendimento singular, respetivamente).

"Apesar de alguma demagogia vendida pelo Governo dos Açores, a verdade é que a região não convergiu nem com a Europa nem com o país. Apesar de se ter recebido mais transferências do Orçamento do Estado em 2019, e vai-se receber em 2020, o Produto Interno Bruto (PIB) 'per capita' está abaixo dos 90%", declarou o deputado social-democrata.



Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.