Produção de alimentos tem de aumentar 70 por cento até 2050


 

Lusa / AO online   Internacional   13 de Out de 2009, 17:24

A produção mundial de alimentos terá de crescer cerca de 70 por cento até 2050 para satisfazer a demanda para as próximas décadas, disse um relator especial da ONU.
Na abertura de um encontro sobre segurança alimentar, em Brasília, o belga Olivier de Schutter salientou que cerca de mil milhões de pessoas actualmente “passam fome no mundo”.

Esta situação só será resolvida com o aumento da produção de alimentos e com a adopção de estratégias de segurança alimentar, como novos mecanismos de distribuição, nomeadamente nos países pobres.

O especialista disse que os países em desenvolvimento terão de multiplicar por cinco os investimentos anuais para alimentar as populações e que se situam actualmente nos oito mil milhões de dólares (5,39 mil milhões de euros).

O delegado da FAO no Brasil, José Tubino, também presente no encontro, fez um alerta para o que considera "desafios gigantescos", na área de produção alimentar, a serem enfrentados nas próximas décadas.

Tubino defendeu que a comunidade internacional tem de incentivar a produção de alimentos e aumentar a transparência dos mercados mundiais para impedir a especulação com o preço dos alimentos.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.