Jornal de campanha

"Privatiza-se o lucro e socializa-se o prejuízo"


 

Luísa Couto   Regional   16 de Out de 2008, 11:39

A distribuição desigual da riqueza produzida nos Açores voltou a ser um dos argumentos usados no debate pelo coordenador regional da CDU, Aníbal Pires, para reclamar adopção de uma dezena de medidas que o partido quer fazer valer  no parlamento e que têm na sua essência a "reposição da justiça social".
E quando os temas lançados passaram pela economia e pelo trabalho, o dirigente comunista não se coibiu de apontar o dedo às opções do Executivo de Carlos César, relevando que as suas políticas “têm desvalorizado o trabalho”, a ponto de “se privatizar o lucro” e de se “socializarem os prejuízos”.  Aníbal Pires chumbou também as estratégias do Governo em matéria de coesão, alegando que, nesse domínio,  “foi uma falência completa”. Aliás, no entender do líder dos comunistas açorianos, o problema da coesão não se verifica só nas ilhas mais pequenas, uma vez que, refere, até “São Miguel e a Terceira já acusam problemas de coesão interna com a descaracterização das zonas rurais” dessas mesmas  ilhas.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.