Inglaterra

Príncipe Carlos celebra 60 anos promovendo uma organização de beneficência


 

Lusa/AOonline   Internacional   14 de Nov de 2008, 16:27

O príncipe Carlos, herdeiro do trono britânico, comemorou esta sexta-feira 60 anos, promovendo uma das numerosas organizações de caridade que fundou, uma das suas principais actividades há décadas.
Nascido em Londres a 14 de Novembro de 1948, o príncipe anunciou hoje o lançamento da Semana da Juventude, uma campanha nacional na qual marca presença a "Prince's Trust", a primeira organização não governamental que criou em 1976.

    Esta organização ajuda jovens com poucos recursos a empreender os seus próprios projectos e é considerada o maior êxito do príncipe.

    Carlos visitou o centro comunitário de New Beckton Park, leste de Londres, onde se encontrou com jovens desempregados ajudados pela "Prince's Trust".

    O herdeiro do trono britânico ocupa-se de uma vintena de organizações, dirigidas pela "Prince's Charities", a mais importante associação filantrópica do país, que anualmente angaria mais de 100 milhões de libras (123 milhões de euros).

    O aniversário do príncipe foi objecto de múltiplas celebrações no decurso desta a semana.

    Sábado, a mulher do príncipe, Camilla Parker Bowles, celebra a efeméride com uma festa privada que contará com um concerto do cantor britânico Rod Stewart, embaixador da "Prince's Trust".

    Na quinta-feira à noite, o príncipe de Gales foi o convidado de honra de uma gala oferecida pela mãe, a rainha Isabel II, no Palácio de Buckingham. Mais de 400 pessoas foram convidadas, incluindo a princesa Vitória da Suécia e o rei Constantino da Grécia.

    Quarta-feira à noite, Carlos participou num espectáculo no New Wimbledon Theatre, Londres, que contou com a presença do actor norte-americano Robin Williams.

    Uma sondagem hoje publicada indica que a maioria dos britânicos crê que o príncipe não está velho demais para suceder à mãe: 35 por cento dos entrevistados acredita que Carlos deve deixar o trono para o filho mais velho, Guilherme, enquanto que 42 por cento dos inquiridos acredita que deve assumir o trono.

    Em Hyde Park, centro de Londres, foram disparados 41 tiros de canhão às 12:00 (mesma hora em Lisboa).

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.