Portugal visto pelos carteiros


 

Lusa/AO Online   Nacional   12 de Dez de 2011, 07:18

Os CTT desafiaram os seus cerca de seis mil carteiros a fotografarem durante um mês, na primavera deste ano, o que viam na sua rotina de distribuição de correio pelo país fora, e chamaram ao projeto “Portugal Connosco”.

Forneceram a cada um uma máquina descartável e, do retorno de cerca de três mil, saiu um universo de 80 mil imagens, das quais uma equipa de curadores selecionou cerca de 200 que foram reproduzidas num livro, já disponível nas livrarias nacionais, e deram origem a uma exposição, patente a partir de 16 de dezembro no edifício dos CTT da rua de São José, em Lisboa.

A ideia tinha “um primeiro objetivo de comunicação interna e motivação de equipas e um segundo de caráter documental”, indicam os CTT em comunicado enviado à Lusa.

“Desde o início se achou que era possível fazer um retrato do que é o país hoje a partir das imagens capturadas pela única classe profissional que todos os dias [úteis] percorre todas as estradas e ruas portuguesas”, lê-se no documento.

“Não sabemos – prosseguem os CTT – se alguma vez uma recolha deste tipo e com esta dimensão foi feita em Portugal, mas não duvidamos de que a coleção resultante deste projeto pode ajudar a entender – nem que seja numa perspetiva sociológica – quem somos hoje”.

O resultado “não defrauda as expetativas e mostra tanto as novas paisagens urbanas como o país de alcatrão e, sobretudo, o país isolado que resiste, quase 30 anos depois da adesão à CEE”, sendo “o carteiro, de resto, em ambientes urbanos e rurais, frequentemente o único contacto de muitos idosos com o mundo”, sublinham.

A exposição do projeto “Portugal Connosco” estará patente em Lisboa até 08 de janeiro de 2012 e no resto do país, de forma itinerante, ao longo do próximo ano.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.