Europeu 2011

Portugal renova esperança com vitória sobre a Grécia

Portugal renova esperança com vitória sobre a Grécia

 

Lusa/AO online   Futebol   17 de Nov de 2009, 19:13

Portugal cumpriu hoje a obrigação de vencer a Grécia, impondo-se por 2-1, em Olhão, e recuperou a esperança de apuramento para o Europeu de futebol de sub-21, apesar de gregos e ingleses continuarem na frente do Grupo 9
 Portugal manteve hoje as esperanças de qualificação para o Europeu de futebol sub-21 de 2011, ao vencer a Grécia por 2-1, em Olhão, com os golos lusos a serem apontados por Rui Pedro (51 minutos) e Yazalde (74).

Apesar de a Grécia ainda ter reduzido por Elini Dimoutsos (91), o triunfo não fugiu à equipa portuguesa, que somou sete pontos e ocupa a terceira posição do Grupo 9 de qualificação para o Europeu da Dinamarca, a quatro pontos da Inglaterra, segunda classificada, que hoje empatou 0-0 na Lituânia, e a seis dos helénicos, que lideram, com 13 pontos, mas mais um jogo do que portugueses e ingleses.

Portugal entrou com uma estrutura mais ofensiva do que no jogo de sábado com a Inglaterra (derrota por 1-0), com o técnico Oceano Cruz a colocar Ventura na baliza, uma defesa com Pereirinha, Daniel Carriço, Miguel Vítor e Fábio Faria, André Santos, Pedro Moreira e Rui Pedro no meio campo, com os extremos João Aurélio e Ukra no apoio ao ponta de lança Yazalde.

Obrigado a vencer para não perder as esperanças de chegar ao Europeu, Portugal entrou bem no jogo e, logo aos cinco minutos, Yazalde cabeceou na pequena área sem oposição, após canto marcado por Pereirinha e desviado ao primeiro poste por Daniel Carriço, mas o guarda-redes grego Nikolaos Bampaniotis evitou o golo luso.

Os sub-21 portugueses dominaram as operações nos primeiros 25 minutos, sempre com mais posse de bola, mas esse ascendente não se traduziu em jogadas de perigo na área da Grécia, que tentava aproveitar qualquer oportunidade para fazer jogo directo e tentar tirar proveito da maior estatura dos seus jogadores.

Aos 36 minutos, Yazalde conseguiu chegar a uma boa abertura para as costas da defesa do extremo João Aurélio, mas o guarda-redes grego saiu bem dos postes e cortou o ângulo de remate ao português e, aos 41, foi Pereirinha quem tentou a sorte de longe, com a bola a sair ligeiramente ao lado.

Sem golos ao intervalo, a equipa portuguesa entrou de novo ao ataque e, no segundo minuto, o remate em jeito de Ukra, após uma boa jogada de Pereirinha, obrigou o guarda-redes grego a aplicar-se para evitar o golo português, que acabou por chegar no minuto 51, num cabeceamento certeiro de Rui Pedro, após cruzamento bem medido do lateral-direito do Sporting para o meio dos centrais helénicos.

Sem criar verdadeiro perigo até então, a Grécia aproximou-se da área lusa com perigo aos 64 minutos, mas valeu a intervenção do "capitão" português Daniel Carriço a tirar a bola do alcance do avançado grego Athanasios Papazoglou.

No minuto seguinte, Oceano tirou Rui Pedro e colocou Adrien Silva, fortalecendo o meio-campo, e cinco minutos depois Ukra (um dos melhores em campo) saiu esgotado, entrando para o seu lugar Fredy.

Uma perda de bola de um jogador grego permitiu a Portugal chegar ao segundo golo, aos 74 minutos, apontado por Yazalde, que recebeu a bola em profundidade de João Aurélio, entrou na área e, à saída do guarda-redes grego, rematou rasteiro para a baliza, concluindo da melhor forma uma grande jogada de contra-ataque.

Com a Grécia em desvantagem e a tentar correr atrás do prejuízo, Portugal ficou com mais espaço e, três minutos depois, Yazalde falhou incrivelmente o terceiro golo luso, ao rematar dentro da pequena área por duas vezes, com o "guardião"” helénico a opor-se bem às tentativas do ponta-de-lança luso, que pouco depois dava o lugar a Rabiola, um dos jogadores da casa.

Pedro Moreira, aos 80 minutos, também rematou de longe, forte, mas Bampaniotis voltou a fazer uma excelente defesa.

No primeiro minuto de compensação, e quando nada fazia prever, a Grécia chegou ao golo num remate em jeito de Elini Dimoutsos, que não deu hipóteses a Ventura, mas a vitória estava assegurada, conservando as esperanças de qualificação lusas para o Europeu.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.