Relatório de Competitividade 2007

Portugal lidera serviços públicos online

 Portugal lidera serviços públicos online

 

Lusa / AO online   Economia   31 de Out de 2007, 16:04

Portugal lidera o ranking dos serviços públicos on-line destinados a empresas na UE a 27, segundo o relatório da Competitividade divulgado pela AIP, o que revela o "forte empenho do Governo", disse à agência Lusa a secretária de Estado da tutela.
De acordo com o relatório de Competitividade 2007, apresentado pela Associação Industrial Portuguesa (AIP), em termos de serviços públicos destinados a empresas na Internet, Portugal "atinge a primeira posição da UE 27", quer em sofisticação como em disponibilização.

"Os dados reflectem o esforço que tem sido feito para melhorar os serviços públicos e o uso que se começou a fazer desses mesmos serviços", afirmou à Lusa a secretária de Estado da Modernização Administrativa, Maria Manuel Leitão Marques.

A governante destacou "o grande trabalho de integração dos diferentes serviços públicos", o que dá a Portugal "uma boa posição e serve de exemplo" para outros países.

Maria Manuel Leitão Marques deu como exemplo os serviços disponibilizados no Portal da Empresa, que resultam da coordenação "de quatro entidades diferentes".

"Exige um grande esforço de coordenação", sublinhou a secretária de Estado, referindo que o facto de Portugal estar na liderança resulta de "um alinhamento [de todos as entidades públicas] em relação aos objectivos" e um "forte empenho do centro do Governo", nomeadamente do primeiro-ministro, que "tem sido crucial" para o desenvolvimento dos serviços electrónicos.

O estudo, que tem por base um relatório da Capgemini para a Comissão Europeia datado de Setembro, refere que a nível do índice de disponibilização completa, Portugal, em conjunto com a Eslovénia, é o terceiro país dos 27 Estados-membros com a classificação mais elevada.

No índice de sofisticação, Portugal, a par do Reino Unido, é o quarto país a registar o valor mais elevado.

"É de salientar o significativo progresso registado desde 2005, sobretudo no último ano. Portugal, assim como Malta, Eslovénia e a Estónia foi considerado um fast mover", conclui o relatório apresentado pela AIP
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.