Portugal é o 11.º país que mais gastou em prestações sociais em 2007

Portugal é o 11.º país que mais gastou em prestações sociais em 2007

 

Lusa/AO Online   Economia   9 de Nov de 2011, 06:36

 Portugal foi em 2007 o 11.º entre os membros da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) que mais gastou em prestações sociais, com França, Bélgica e Alemanha no topo, segundo um relatório divulgado na terça-feira.

O relatório “Is the european welfare state really more expensive?” (“Está o Estado social europeu mesmo mais caro?”), divulgado terça-feira pela OCDE, revela que Portugal gastou, em 2007, o equivalente a 25 por cento do seu produto interno bruto (PIB) com prestações sociais, situando-se acima da média dos 27 países da OCDE considerados, que é de 22,2 por cento do PIB.

Dentro dos gastos sociais públicos, correspondentes a 22,5 por cento do PIB, em 2007, as despesas com pensões são as que representam a maior parcela dos gastos sociais de Portugal nesse ano (10,8 por cento), o que compara com os sete por cento do PIB da média dos países da OCDE. Também na saúde, Portugal está acima da média, com 6,6 por cento contra 5,8 por cento do PIB.

Considerando as despesas sociais totais (pública e privada), em 2007, França foi o país que mais gastou em prestações sociais, seguindo-se a Bélgica, a Alemanha, a Suécia, os Estados Unidos, o Reino Unido, Itália, Áustria, a Dinamarca e a Holanda dos que mais gastam em apoios sociais.

No entanto, se for apenas considerada a despesa pública, esta configuração altera-se: Portugal sobe para a nona posição entre os que mais despendem em prestações sociais.

Entre os países em que, como Portugal, perdem posições, quando se acrescenta a despesa privada, porque esta é escassa, estão, nomeadamente, a Dinamarca (incluindo a despesa privada, passa do 3.º para o 9.º país que mais gasta em prestações sociais), a Finlândia (do 8.º para o 14.º), a Noruega (de 11.º para 17.º) e a Polónia (do 14.º para o 22.º lugares).

No entanto, a maior diferença verifica-se nos Estados Unidos que, se for tida em conta apenas a despesa social estatal, desce da 5.ª para a 23.ª posição.

Entre os países onde a soma da despesa privada com a pública contribui para aumentar o peso relativo da despesa social total no PIB estão também o Reino Unido (que passa do 12.º lugar para o 6.º), a Holanda (do 15.º para o 10.º) e o Canadá (do 19.º para o 12.º), entre outros.

A OCDE estima ainda que, no final deste ano, as despesas sociais totais de Portugal (em percentagem do PIB) sejam de 25,3 por cento, subindo um ponto percentual em 2012, ficando nos dois anos acima da média dos países da OCDE considerados neste estudo que deverá ser de 22,1 por cento em 2011 e em 2012.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.