Conflitos

População e Forças Armadas em fuga no Congo

População e Forças Armadas em fuga no Congo

 

Lusa/AOonline   Internacional   29 de Out de 2008, 16:40

Elementos das Forças armadas da República Democrática do Congo (FARDC), abandonaram a cidade de Goma, leste do país, capital provincial do Kivu Norte, perante o avanço dos rebeldes, segundo fontes militares e habitantes da província.
"Está terminado", declarou uma fonte militar, referindo-se aos confrontos que opõem as FARDC aos rebeldes do Congresso Nacional para a Defesa do Povo (CNDP), dirigidos pelo general tutsi Laurent Nkunda.

    A mesma fonte militar precisou que as FARDC vão agora reunir-se em Minova, entre Goma e Bukavu - que distam entre si cerca de 100 km.

    "Não há um único militar na cidade", anunciou um habitante de Goma, sob anonimato.

    Os tanques de combate das forças governamentais que regressam da frente do norte de Goma "seguem na direcção" de Bukavu, capital provincial do Kivu Sul, acrescentou.

    De acordo com outro habitantes, os helicópteros da Guarda Republicana (GR, guarda presidencial) deslocaram-se rumo ao Kivu Sul, fronteira com o Ruanda.

    Também os habitantes de Goma começaram hoje a fugir da cidade, em virtude do deslocamento dos militares, anunciaram à AFP autoridades locais.

    "As pessoas estão em fuga e a cidade em pânico", afirmou o governador da capital provincial do Kivu Norte, Julien Paliku, contactado por telefone a partir de Kinshasa.

    Segundo Julien Paliku, "tomados de medo" por causa dos combates, os habitantes foram deslocados a uma dezena de quilómetros ao norte de Goma - um fluxo de pessoas que "criou o pânico entre a população".

    Os barcos que ligam Goma, no extremo norte do lago Kivu, a Bukavu, estão a ser tomados de assalto pelos habitantes de Goma em fuga, de acordo com os serviços marítimos.

    "Muitas pessoas fogem de Goma por barco em direcção a Bukavu com as suas famílias", precisou um dos responsáveis na capital do Kivu Sul.

    O Alto Comissariado das Nações Unidas para os refugiados (HRC) anunciou hoje que tem distribuído assistência humanitária a cerca de 30 mil pessoas deslocadas pela ofensiva rebelde.

    "Uma equipa do HCR está de regresso ao campo (de deslocados) de Kibati", a cerca de dez quilómetros a norte da província de Kivu Norte, disse à AFP o porta-voz do HRC, Ron Redmond.

    Membros do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e do Programa Alimentar Mundial (PAM), também estão presentes, frisou Ron Redmond.

    O campo de Kibati comportava esta quarta-feira de manhã perto de 45 mil pessoas deslocadas pelo avanço dos rebeldes do movimento de Laurent Nkunda.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.